Mercado abrirá em 3 h 19 min
  • BOVESPA

    95.368,76
    -4.236,78 (-4,25%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    37.393,71
    -607,60 (-1,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    37,21
    -0,18 (-0,48%)
     
  • OURO

    1.879,30
    +0,10 (+0,01%)
     
  • BTC-USD

    13.172,51
    +9,12 (+0,07%)
     
  • CMC Crypto 200

    260,38
    -12,31 (-4,52%)
     
  • S&P500

    3.271,03
    -119,65 (-3,53%)
     
  • DOW JONES

    26.519,95
    -943,24 (-3,43%)
     
  • FTSE

    5.594,31
    +11,51 (+0,21%)
     
  • HANG SENG

    24.586,60
    -122,20 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    23.331,94
    -86,57 (-0,37%)
     
  • NASDAQ

    11.254,75
    +122,00 (+1,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7282
    -0,0062 (-0,09%)
     

Anfavea reduz previsões de queda em vendas e produção de veículos no Brasil em 2020

·2 minutos de leitura
.
.

SÃO PAULO (Reuters) - A indústria de veículos do Brasil cortou projeções de quedas em produção, vendas e exportações de veículos do país neste ano, após resultados nos últimos meses mais positivos em relação ao pior da crise do coronavírus no primeiro semestre.

A associação de montadoras, Anfavea, agora estima quedas de 35% na produção, de 31% nas vendas e de 34% nas exportações ante expectativas divulgadas em julho de tombos de 45%, 40% e 53%, respectivamente.

Em janeiro, a entidade esperava que as vendas de veículos novos no Brasil este ano cresceriam 9,4%, para 3,05 milhões de unidades, mas agora o número estimado é de 1,925 milhão. Para a produção, a expectativa no início do ano era de alta de 7,3%, para 3,16 milhões de veículos. A nova previsão é de 1,915 milhão.

"Não podemos carimbar que esses números vão acontecer. Temos momento complicado no país, como debate sobre o teto fiscal e instabilidade política", afirmou o presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes, acrescentando ainda questões relacionadas à volatilidade do câmbio e discussões sobre aumento de carga tributária.

Em setembro, a produção cresceu 4,4% sobre agosto, para 220,16 mil unidades, mas caiu 11% na relação anual. No acumulado de 2020 até o mês passado, os licenciamentos estão 41,1% abaixo do verificado nos nove primeiros meses de 2019, a 1,33 milhão de veículos.

Já as vendas, subiram 13,3% em setembro na comparação mensal e caíram 11,6% na anual, acumulando queda de 32,3% em 2020, a 1,37 milhão de unidades. A média diária de emplacamentos do mês passado foi de 9,9 mil unidades, número considerado como "bom" por Moraes dado o novo cenário do setor. Um ano antes, as médias foram de 11,2 mil em setembro, 12 mil em novembro e 13 mil em dezembro.

(Por Alberto Alerigi Jr.)