Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.672,26
    +591,91 (+0,60%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.741,50
    +1.083,62 (+2,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    107,06
    +2,79 (+2,68%)
     
  • OURO

    1.828,10
    -1,70 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    21.123,56
    +42,27 (+0,20%)
     
  • CMC Crypto 200

    462,12
    +8,22 (+1,81%)
     
  • S&P500

    3.911,74
    +116,01 (+3,06%)
     
  • DOW JONES

    31.500,68
    +823,32 (+2,68%)
     
  • FTSE

    7.208,81
    +188,36 (+2,68%)
     
  • HANG SENG

    21.719,06
    +445,19 (+2,09%)
     
  • NIKKEI

    26.491,97
    +320,72 (+1,23%)
     
  • NASDAQ

    12.132,75
    +395,25 (+3,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5524
    +0,0407 (+0,74%)
     

Anefac afirma que elevação da Selic irá encarecer crédito e prestações

O aumento da Selic de 12,75% ao ano para 13,25% ao ano foi aprovado por unanimidade pelo Copom do Banco Central. (Foto: Getty Images)
O aumento da Selic de 12,75% ao ano para 13,25% ao ano foi aprovado por unanimidade pelo Copom do Banco Central. (Foto: Getty Images)

A Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac) declarou que a elevação da taxa Selic seguirá encarecendo crédito e prestações.

Segundo cálculos da entidade, quem precisar de empréstimos, sentirá os efeitos da diferença entre a taxa básica e os juros efetivos de prazo mais longo. Enquanto o juro médio para pessoa física passará de 117,23% para 118,21% ao ano, a taxa média para pessoa jurídica passou de 56,57% para 57,29% ao ano.

No caso dos rendimentos da poupança, a taxa de 13,25% ao ano da caderneta só terá rendimentos maiores que os fundos de investimento quando a taxa de administração cobrada pelos fundos é alta e o prazo da aplicação é curto.

Ainda de acordo com simulações da Anefac, a poupança rende mais que os fundos em apenas duas situações: para aplicações de até seis meses com taxa de 2,5% ao ano e para aplicações de até dois anos com taxa de administração de 3% ao ano.

Aumento foi aprovado ontem

O aumento da taxa Selic de 12,75% ao ano para 13,25% ao ano foi aprovado por unanimidade pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central nesta quarta-feira (15). Com isso, a taxa avança 0,5 ponto percentual.

Chegando ao maior patamar desde dezembro de 2016, quando estava em 13,75% ao ano, a taxa básica de juros da economia já acumula o décimo primeiro aumento seguido.

Em abril, o Copom já havia sinalizado ao mercado financeiro que o aumento nos juros era uma possibilidade. Na ocasião, o BC informou que pretendia elevar a taxa novamente, mas em menor intensidade do que o avanço anterior de 1 ponto percentual.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos