Mercado fechado
  • BOVESPA

    100.591,41
    -172,59 (-0,17%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.435,45
    +140,65 (+0,29%)
     
  • PETROLEO CRU

    112,37
    +0,61 (+0,55%)
     
  • OURO

    1.820,70
    -0,50 (-0,03%)
     
  • BTC-USD

    20.291,77
    -465,20 (-2,24%)
     
  • CMC Crypto 200

    439,34
    -10,72 (-2,38%)
     
  • S&P500

    3.821,55
    -78,56 (-2,01%)
     
  • DOW JONES

    30.946,99
    -491,31 (-1,56%)
     
  • FTSE

    7.323,41
    +65,09 (+0,90%)
     
  • HANG SENG

    22.418,97
    +189,47 (+0,85%)
     
  • NIKKEI

    26.827,22
    -222,25 (-0,82%)
     
  • NASDAQ

    11.693,25
    +19,00 (+0,16%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5436
    -0,0005 (-0,01%)
     

Aneel reajusta valores de bandeiras tarifárias amarela e vermelha até 2023

SÃO PAULO (Reuters) - Os valores das bandeiras tarifárias amarela e vermelha foram reajustados para o período de julho de 2022 a junho de 2023, conforme aprovação da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), informou a reguladora nesta terça-feira.

A bandeira amarela passa a ser de 2,989 reais para cada 100 quilowatts-hora (kWh) por mês. A bandeira vermelha patamar 1 será de 6,50 reais por 100 kWh. Na bandeira vermelha patamar 2, o valor aprovado pela Aneel é de 9,795 reais a cada 100 kWh.

Antes da mudança, a bandeira amarela trazia um acréscimo tarifário de 1,874 real para 100 kWh. Já a vermelha patamar 1 tinha adicional de 3,971 reais e a patamar 2, de 9,492 reais.

A bandeira verde, assim como em anos anteriores, não terá custo para o consumidor e servirá para sinalizar condições favoráveis de geração de energia.

"O recálculo retorna à metodologia seguida pelas bandeiras tarifárias desde 2016, na qual a bandeira vermelha patamar 2 cobre 95% dos eventos históricos conhecidos (e não 100% como no segundo semestre de 2021)", disse a Aneel.

Segundo a agência, o acréscimo se deve, entre outros fatores, aos dados do mercado de compra de energia no período de escassez hídrica em 2021, ao custo do despacho térmico oriundo do maior custo dos combustíveis e à correção pelo IPCA, que teve alta de 10,06% em 2021.

A bandeira tarifária de julho será anunciada pela agência na sexta-feira (24), já com os novos valores.

(Reportagem de Letícia Fucuchima; Texto de Nayara Figueiredo)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos