Mercado fechará em 3 h 37 min
  • BOVESPA

    113.616,99
    -90,77 (-0,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.381,09
    -352,95 (-0,72%)
     
  • PETROLEO CRU

    89,96
    +1,85 (+2,10%)
     
  • OURO

    1.771,30
    -5,40 (-0,30%)
     
  • BTC-USD

    23.415,94
    +30,49 (+0,13%)
     
  • CMC Crypto 200

    558,62
    +0,89 (+0,16%)
     
  • S&P500

    4.274,75
    +0,71 (+0,02%)
     
  • DOW JONES

    33.905,58
    -74,74 (-0,22%)
     
  • FTSE

    7.541,85
    +26,10 (+0,35%)
     
  • HANG SENG

    19.763,91
    -158,54 (-0,80%)
     
  • NIKKEI

    28.942,14
    -280,63 (-0,96%)
     
  • NASDAQ

    13.546,75
    +53,50 (+0,40%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2504
    -0,0088 (-0,17%)
     

Aneel publica decisão sobre J&F após segurá-la por 16 dias

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O diretor da Aneel Efrain da Cruz segurou por 16 dias a publicação de uma decisão referente à Âmbar, o braço de energia da J&F. A medida so foi publicada após provocação do Painel.

No último dia 12, a agência autorizou a Âmbar a usar uma térmica de Cuiabá no lugar de outras quatro que estão em atraso e não conseguiram começar a operar a tempo. Com isso, ficam suspensas as multas pelo atraso em R$ 209 milhões e a possibilidade de cancelamento do contrato em 1º de agosto.

A liberação contrariou recomendações da procuradoria jurídica e das superintendências técnicas da agência reguladora que apontaram irregularidades e descumprimento dos contratos do leilão. Foi criticada pelo ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida, e pelo TCU (Tribunal de Contas da União).

A não-publicação imediata de decisões é incomum. Todas as tomadas desde então já cumpriram essa etapa. Sem isso, as entidades contrárias não conseguem interpor recursos.

De acordo com a Abrace (Associação dos Grandes Consumidores Industriais de Energia e de Consumidores Livres), a determinação da Aneel impôs aos consumidores um custo superior a R$ 20 bilhões ao longo de 3 anos pela entrega de uma energia seis vezes mais cara que o valor médio cobrado nas contas de energia dos consumidores cativos, o que inclui os residenciais.

O Painel procurou a Aneel na noite desta terça-feira (26) questionando os motivos para o atraso na publicação. A agência não esclareceu e afirmou que o despacho nº 1.872/2022 foi assinado e deveria ser publicizado nesta quinta-feira (28). Ele consta no Diário Oficial da União.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos