Aneel busca custo 'eficiente e médio' para usinas

O diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Nelson Hubner, estima que os custos das empresas do setor vão chegar a um nível de similaridade "daqui a um tempo". "Hoje, as diferenças são muito grandes", avaliou Hubner nesta sexta-feira, durante seminário na Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Segundo ele, o governo não está voltando ao regime de tarifa pelo custo. "A filosofia continua a mesma para transmissão e para geração." A nova sistemática aplicada pelo governo para os parâmetros de renovação dos contratos, acrescenta Hubner, é totalmente compatível com o que a Aneel já pratica. "Não há surpresa, buscamos o custo eficiente e médio."

O diretor-geral salientou que, para fazer o levantamento dos custos das usinas do País, a Aneel se utilizou de uma amostragem que representa 80% da capacidade instalada no Brasil hoje. "Temos uma amostra bastante significativa." Ele ressaltou que a agência também levantou custos de usinas novas e mais antigas. "As mais novas têm custo operacional mais baixo."

Carregando...