Aneel analisa recuperação para distribuidoras do Rede

O diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Nelson Hubner, afirmou que o órgão regulador ainda avalia o plano de recuperação para as oito distribuidoras do Grupo Rede apresentado pelo controlador da companhia, o empresário Jorge Queiroz. "Nós encaminhamos esse plano para todos os interventores das distribuidoras, porque eles têm um conhecimento e um domínio maior da situação real das empresas", disse o executivo, que participou nesta terça-feira (27) de evento realizado na cidade de Campinas (SP).

Pelo plano de recuperação apresentado por Queiroz, as oito distribuidoras do Grupo Rede, que estão localizadas nos Estados de São Paulo, Paraná, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Tocantins, precisam de um aporte de R$ 773 milhões. "Os interventores estão avaliando se aqueles valores de investimento e capitalização previstos para cada uma das concessionárias são razoáveis e satisfatórios ou se serão necessários ajustes no plano", explicou. Hoje, as concessionárias do Grupo Rede estão sob intervenção da Aneel por força da Medida Provisória (MP) nº 577/12.

Segundo Hubner, essas análises serão repassadas pelos interventores à Aneel posteriormente e serão consolidadas às avaliações em curso elaboradas pela área técnica da agência. "A partir daí, nós iremos retornar à empresa para ajustar o que for necessário ao plano", disse.

A aprovação pelo regulador do plano de recuperação das oito concessionárias do Grupo Rede é uma das condicionantes para a efetivação do compromisso de compra e venda da empresa pelo consórcio CPFL Energia/Equatorial, conforme noticiou a Agência Estado nesta terça-feira (27) à noite com exclusividade. Segundo uma fonte do mercado próxima à operação, as duas empresas irão assinar a compra da fatia acionária de Queiroz no Grupo Rede dentro das próximas semanas, muito provavelmente antes do dia 20 de dezembro. "As negociações já estão super avançadas", disse a fonte.

Além da aceitação do plano de recuperação das distribuidoras, outra condicionante se refere à aprovação do plano de reestruturação da dívida do Grupo Rede pelos seus credores. Na última sexta-feira (23), o empresário Jorge Queiroz ingressou com um pedido de recuperação judicial para as holdings do grupo. A partir do momento que a Justiça aceitar o pedido, a companhia terá até 60 dias para apresentar esse plano aos credores. Feito isso, vão mais 120 dias para que a proposta seja aprovada ou não pelos credores. "Esse plano já irá refletir a visão dos compradores do Grupo Rede sobre essa questão", informou a fonte.

Carregando...