Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,91 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,62 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,96
    -0,65 (-0,90%)
     
  • OURO

    1.753,90
    -2,80 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    47.325,39
    -316,10 (-0,66%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.193,48
    -32,05 (-2,62%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,44 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.530,00
    +12,25 (+0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1994
    +0,0146 (+0,24%)
     

Android Auto x Android Automotive: qual a diferença entre as duas plataformas?

·5 minuto de leitura

Antigamente, ter um carro equipado com uma central multimídia era um privilégio para pouquíssimas pessoas ricas. Com a evolução tecnológica, esses aparelhos ultramodernos e caros foram substituídos por sistemas mais simples, que espelham aplicativos de celular e assim baratearam os custos industriais. Hoje é relativamente comum, mesmo no Brasil, veículos intermediários já saírem de fábrica integrados com as telinhas no painel.

O Android é conhecido pela popularidade como sistema operacional para dispositivos móveis, em especial os celulares e tablets, mas também equipa relógios inteligentes, televisores e centrais multimídias de veículos. Assim como a rival Apple, o Google também produziu uma solução voltada para deixar os carros "mais inteligentes".

Auto ou Automotive: ambos são projetos derivados do Android e criados pelo Google (Imagem: Reprodução/Google)
Auto ou Automotive: ambos são projetos derivados do Android e criados pelo Google (Imagem: Reprodução/Google)

Essa imensa variedade de usos do versátil sistema do Google pode confundir o leitor, principalmente quando o assunto são dois softwares com o nomes bem parecidos: Android Auto e Android Automotive. Embora a nomenclatura seja similar, tratam-se de coisas distintas e com finalidades bem específicas.

De modo geral, a diferença entre um e outro é a dependência de um aparelho móvel como suporte para rodar os aplicativos. Ambos têm vantagens e desvantagens, fãs e haters, vai depender basicamente das necessidades — e também da conta bancária — de cada usuário.

Android Auto: do seu celular para o carro

O Android Auto é o popular aplicativo que espelha programas do celular do usuário para as centrais de veículos. O objetivo dele é transferir recursos dos apps para a tela dos carros, o que reduz a distração ao dispensar o uso do aparelho nas mãos.

No display maior e localizado ao lado do volante, fica muito mais fácil para o condutor conferir as rotas do Waze, músicas do Spotify e notificações do WhatsApp. Tudo isso pode ser feito sem tirar as mãos do volante, somente com o apoio do Google Assistente, o que é fundamental para evitar acidentes no trânsito.

A interface do Android Auto é espelhada do celular para a tela (Imagem: Reprodução/Google)
A interface do Android Auto é espelhada do celular para a tela (Imagem: Reprodução/Google)

Por ser apenas um espelhamento, é necessário ter o aplicativo Android Auto instalado em um telefone, bem como os demais aplicativos com capacidade de integração. Esses são os programas compatíveis:

  • Serviços de localização: Google Maps e Waze

  • Assistente de voz: Google Assistente e Alexa

  • Streaming de músicas: Spotify, Google Play Music, Youtube Music, Amazon Music e Apple Music

  • Programas de chat: WhatsApp, Facebook Messenger, Google Hangouts, Skype e Telegram.

O app só é compatível com dispositivos com Android 5 ou superior, com uma pequena ressalva aqui: se você estiver em um celular com até a versão Android 9, é necessário baixar um aplicativo dedicado para fazer essa transferência de dados; já para quem está em sistemas acima da versão 10, o programa já faz tudo de modo integrado, então você não vai precisar entrar na Play Store e fazer o download.

As centrais multimídia variam conforme a montadora e o modelo do carro, por isso é bom ficar de olho nas características para ver quais benefícios ela possui. Algumas precisam do cabo de carregamento para transferir os dados, o que pode ser um problema para muita gente, enquanto outras conseguem fazer o emparelhamento apenas pela conexão Bluetooth.

Como é integrado ao celular, o programa reproduz solicitações, compromissos, anotações e lembretes enquanto você dirige. A parte boa é que ela estará disponível tanto enquanto você estiver motorizado quanto ao caminhar nas ruas.

Android Automotive: integrado ao veículo

Já o Android Automotive é um sistema operacional completo e adaptado da versão de celular para os carros. Assim como o irmão mais velho, é totalmente construído em código aberto e adaptável a skins construídas pelas montadoras — como ocorre com a Samsung e a Xiaomi, entre outras, nos celulares.

Não se trata de uma bifurcação ou desenvolvimento paralelo do Android: é a mesma base de código e reside no mesmo repositório que o Android fornecido em telefones e tablets. Sua vantagem é contar com toda a infraestrutura desenvolvida para mobile, o que inclui modelos de segurança, compatibilidade com programas, ferramentas de desenvolvedor e infraestrutura plenamente funcional sem depender necessariamente de um celular.

O Android Automotive é um sistema próprio, independente de celular (Imagem: Reprodução/Google)
O Android Automotive é um sistema próprio, independente de celular (Imagem: Reprodução/Google)

A principal diferença reside no fato de que esse sistema pode ser totalmente integrado a funções do carro, como ar-condicionado, aquecimento de bancos e funções de áudio. Além disso, com o Google Assistente, você pode essas funções apenas sua voz, o que é muito legal porque reduz a distração e evita tirar os olhos da estrada.

Integrado aos serviços do Google, ele permite a completa personalização da experiência de direção, com seus aplicativos e telas favoritos. Embora seja open source, as montadores precisam investir em um reprodutor com configurações melhores do que as centrais multimídias mais básicas, embarcadas por muitas concessionárias. Não é a toa que a incidência do Android Automotive é maior em montadoras especializadas em veículos de padrão mais elevado.

Como ele é um sistema nativo de fábrica, possui compatibilidade com toda a frota de programas da versão Auto e mais uma dezena de outros projetados para rodar especificamente nele. Por outro lado, como sua base de usuários é menor, as empresas podem levar mais tempo para lançar correções ou melhorias.

Apesar das vantagens, ele tem como desvantagem a falta de mobilidade. Embora hajam opções de integrar celulares Android com o sistema, ele funciona de forma autônoma e precisa de ligação com os serviços do Google para rodar perfeitamente. Isso significa que, caso seu carro seja furtado, o ladrão pode ter acesso a diversas informações suas.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos