Mercado fechará em 3 h 54 min
  • BOVESPA

    116.746,65
    +612,19 (+0,53%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.705,99
    +276,24 (+0,61%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,66
    +3,03 (+3,62%)
     
  • OURO

    1.733,30
    +31,30 (+1,84%)
     
  • BTC-USD

    20.096,06
    +735,59 (+3,80%)
     
  • CMC Crypto 200

    456,12
    +10,69 (+2,40%)
     
  • S&P500

    3.781,03
    +102,60 (+2,79%)
     
  • DOW JONES

    30.226,68
    +735,79 (+2,49%)
     
  • FTSE

    7.086,46
    +177,70 (+2,57%)
     
  • HANG SENG

    17.079,51
    -143,32 (-0,83%)
     
  • NIKKEI

    26.992,21
    +776,42 (+2,96%)
     
  • NASDAQ

    11.628,50
    +342,75 (+3,04%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1338
    +0,0599 (+1,18%)
     

Android 13: celulares precisam de ao menos 2 GB de RAM para rodar o sistema

O Google revelou que, a partir do Android 13, os celulares com o sistema operacional móvel precisarão ter no mínimo 2 GB de memória RAM e 16 GB de armazenamento interno para rodar os apps do Google Mobile Services (GMS). A novidade, publicada no blog Android Developers, “aposenta” definitivamente todos os dispositivos móveis básicos com 1 GB de RAM.

A decisão do Google segue uma evolução que acontece há alguns anos no mercado. Em geral, os smartphones Android intermediários estreiam com 6 GB ou mais de memória RAM e no mínimo 64 GB de armazenamento.

Mesmo os aparelhos de entrada, que rodam a versão mais leve Android Go, costumam ter ao menos 2 GB de RAM. Dessa maneira, os dispositivos que não cumprem os novos requisitos não receberão mais atualizações após o Android 12 — o que também não chega a ser surpresa, considerando que modelos de entrada raramente recebem novas versões do Android.

Modelos básicos como o Nokia C01 Plus não estariam aptos para receber o Android 13 Go Edition (Imagem: Divulgação/Nokia)
Modelos básicos como o Nokia C01 Plus não estariam aptos para receber o Android 13 Go Edition (Imagem: Divulgação/Nokia)

Transformação do mercado de celulares de entrada

O recente anúncio do Google deve estimular uma mudança no mercado de dispositivos Android de entrada. No caso, as marcas serão obrigadas a desenvolverem aparelhos com tecnologias ligeiramente superiores para conseguir rodar as novas versões do sistema operacional.

Antigamente, era comum celulares básicos com Android Go com 1 GB de RAM e 8 GB de armazenamento interno. Contudo, as próprias fabricantes começaram a lançar aparelhos com configurações simples com no mínimo 2 GB de RAM.

Atualmente, os smartphones com memória RAM inferior a 2 GB já não conseguem entregar um desempenho no mínimo satisfatório para tarefas básicas com a versão light do Android em 2022. Para mais, os aparelhos devem ter ao menos 4 GB de RAM para rodar a versão “completa” do sistema operacional.

Não será uma surpresa se o Google adotar requisitos mínimos a partir de 3 GB para executar o Android Go em 2023. Uma mudança que, novamente, exigirá que as fabricantes trabalhem em hardwares um pouco mais poderosos para os modelos de entrada.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: