Mercado fechado

Android 11 deve remover limitação de 4 GB em gravação de vídeos

Rafael Arbulu

Poucos sabem disto, mas o Android tem uma limitação no que tange à gravação de vídeos: desde 2014, o sistema operacional móvel do Google impede que arquivos gravados ultrapassem 4 GB de tamanho. A medida foi pensada para preservar o armazenamento interno de aparelhos lançados naquele período, quando o máximo a que chegavam era 32 GB de espaço. Na próxima versão do Android, porém, isso deve mudar.

Segundo documentação mostrada pelo XDA Developers, o Google deve ou remover ou ampliar essa restrição para algo em torno de 32 GB. A ideia, caso se concretize, beneficiará os novos smartphones a serem lançados em 2020, que já terão 128 GB de armazenamento em modelos básicos, ao passo que aparelhos mais avançados devem trazer recursos como gravação de vídeos em 8K.

Dentro do limite atual, caso você comece a gravar um vídeo e por ventura ultrapasse o tamanho de 4 GB, o Android vai armazenar o vídeo arbitrariamente em seu aparelho, seguindo a gravação como um novo arquivo. Em outras palavras, se você tiver um smartphone Pixel 4 e resolver gravar uma cena de pouco mais de 30 minutos em 4K de resolução, você acabará com três arquivos separados de 4 GB.

Claro, é possível “colar” todo o material depois, com apps específicos que podem ser baixados na própria Play Store, ou, se você preferir o preciosismo profissional, algum editor de vídeos de um desktop. Mas mesmo assim, a mudança do limite era algo pedido por desenvolvedores Android há anos, haja vista que as melhorias tecnológicas dos smartphones já comportam uma carga maior de trabalho em vídeo.

Segundo o XDA Developers, o Google já vem testando o fim desse limite e, em duas ocasiões, conseguiu gravações perfeitas: na primeira, a empresa fez capturou um vídeo com 32 GB de tamanho, enquanto a outra viu todo o armazenamento de um smartphone de testes (modelo não revelado) ser ocupado por uma única gravação de vídeo.

A deve beneficiar as fabricantes de smartphones Android – atualmente, o sistema operacional móvel mais usado do mundo, à frente do iOS da Apple, que, aliás, não possui esse tipo de limitação: nos iPhones, o “teto” de gravação é tão somente o que você tem disponível no armazenamento interno.

Outra coisa favorece o Android 11 como o receptor do novo limite (ou nenhum limite, dependendo do Google): timing. Embora a empresa de Mountain View não tenha confirmado nada até o momento, o Android 11 é o próximo grande lançamento da companhia para o Android. E considerando que o Android 10 teve seu primeiro beta em março de 2018, para lançamento oficial em agosto do mesmo ano, estamos bem perto de vermos novidades dessa nova versão – o que torna a flexibilidade da limitação de vídeos algo interessante para quem é profissional ou entusiasta do setor.

Por ora, o Google mantém silêncio sobre o assunto, mas a medida, caso se confirme, será muito bem-vinda pela comunidade Android.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: