Mercado fechará em 24 mins

Andreas vai de novo coringa do Flamengo a vilão da final da Libertadores em três meses

·1 min de leitura

Principal reforço do Flamengo na temporada, avaliado em 20 milhões de euros, o meia Andreas Pereira foi de "novo coringa" a vilão da final da Libertadores em três meses.

Desde que chegou, o camisa 18 assumiu a titularidade no meio-campo rubro-negro, fez belas partidas na função que era de Gerson, vendido, mas vacilou na decisão contra o Palmeiras.

O erro fatal na saída de bola quando o Flamengo havia empatado fez Andreas se desesperar no banco de reservas e chorar com as mãos na cabeça.

No lance, houve contribuição de David Luiz, que recuou a bola em cima. Mas Andreas girou errado, tropeçou no gramado, e perdeu a disputa para Deyverson, que decretou o 2 a 1.

Não é possível dizer que Andreas foi o principal responsável pela derrota e a perda do título. No primeiro gol, entretanto, ele também afrouxou na marcação, do lado esquerdo da defesa.

Em ações ofensivas, esteve abaixo de Arrascaeta, sobrecarregado na criação. O uruguaio foi o principal responsável pelos passes para finalização. Andreas cumpriu funções mais defensivas, e ofensivamente apareceu muito pouco. Assim como Éverton Ribeiro.

Contratado ao Manchester United por empréstimo, Andreas tem contrato até o meio de 2022. E no elenco concorre na posição com Diego Ribas, capitão moral da equipe e que não foi acionado na final da Libertadores.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos