Anatel vê acesso a dados como maior problema do setor

Os acessos às redes de dados foram os principais problemas constatados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) em seu primeiro relatório trimestral de avaliação da qualidade operacional das empresas de telefonia.

O documento distribuído nesta quarta-feira refere-se ao período de agosto a outubro do ano passado e será publicado ao longo dos próximos dois anos. Por meio do relatório, o órgão regulador vai divulgar os avanços das operadoras na melhoria da qualidade dos serviços.

No fim do ano passado, o presidente da Anatel, João Rezende, havia antecipado que os serviços das teles seguiam "insatisfatórios", com base na primeira avaliação trimestral dos resultados. Por má prestação de serviços, TIM, Oi e Claro tiveram suas vendas suspensas, até que fossem apresentados planos de investimentos para restabelecer a qualidade.

Segundo a Anatel, o acesso dos usuários aos serviços de dados atingiu um patamar pouco acima de 95% em outubro, abaixo da meta de qualidade, próxima de 98%. O relatório mostrou que os acessos dos clientes da Claro ficaram levemente abaixo da meta de qualidade estipulada pela Anatel (de 98%), enquanto a TIM atingiu a faixa dos 95%.

Em termos de acessos aos serviços de voz, as empresas cumpriram as metas, com um porcentual próximo a 97%, frente a uma obrigação de 95%. Neste caso, o desempenho da Claro ficou acima de 97%. Já a TIM e a Oi apresentaram um desempenho em linha com a obrigação.

O relatório avaliou ainda os porcentuais de queda nas chamadas e de conexão. Em ambos os indicadores, o setor, de forma consolidada, superou as metas de qualidade estabelecidas pela Anatel.

O documento apresentou também os desempenhos da Vivo, que ficou fora da suspensão da Anatel. A empresa atingiu as metas de acesso de voz, de queda de chamadas e de conexão, mas não revelou informações sobre o acesso a redes de dados.

Reclamações

A TIM liderou a quantidade de reclamações de usuários no órgão regulador, segundo o relatório. Após atingir um pico superior a 4 mil reclamações, a TIM registrou uma queda para algo próximo a 3,8 mil em setembro e um novo recuo para aproximadamente 3,7 mil em outubro. A Anatel considerou as queixas feitas pelos clientes ao seu centro de atendimento telefônico.

As reclamações dos consumidores à Claro atingiram 2 mil em outubro, 1,7 mil em setembro e aproximadamente 2,2 mil em agosto. A Oi teve cerca de 1,3 mil reclamações em outubro, 1,7 mil em setembro e cerca de 1,6 mil agosto. A Vivo não fez parte do levantamento.

O documento revelou que 39% das falhas nos serviços de telecomunicações são originadas do sistema de transmissão, 26% de falhas ou instabilidade no suprimento de energia elétrica, 11% de problemas com hardware e 9% em software de equipamentos de plataforma. Na sequência vêm falhas na fiação (3%), na infraestrutura (3%) e na interconexão (2%).

Carregando...