Mercado abrirá em 7 h 52 min
  • BOVESPA

    108.487,88
    +1.482,88 (+1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.518,30
    +228,40 (+0,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,85
    +0,57 (+0,52%)
     
  • OURO

    1.853,20
    +11,10 (+0,60%)
     
  • BTC-USD

    30.116,02
    +809,00 (+2,76%)
     
  • CMC Crypto 200

    672,91
    -0,47 (-0,07%)
     
  • S&P500

    3.901,36
    +0,57 (+0,01%)
     
  • DOW JONES

    31.261,90
    +8,80 (+0,03%)
     
  • FTSE

    7.389,98
    +87,24 (+1,19%)
     
  • HANG SENG

    20.327,28
    -389,96 (-1,88%)
     
  • NIKKEI

    26.902,14
    +163,11 (+0,61%)
     
  • NASDAQ

    11.963,25
    +122,50 (+1,03%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1661
    +0,0133 (+0,26%)
     

Analistas elevam previsões para Bolsa em 2022

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·6 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 05.09.2013 - Movimentação na Bolsa de Valores de São Paulo. (Foto: Danilo Verpa/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 05.09.2013 - Movimentação na Bolsa de Valores de São Paulo. (Foto: Danilo Verpa/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Ao longo das últimas semanas, analistas de bancos e corretoras passaram a rever para cima suas projeções para o índice de ações Ibovespa em 2022.

Os cálculos de BofA (Bank of America), XP, Ativa e Guide apontam agora para o principal índice acionário da Bolsa de Valores local entre os 130 mil e os 135 mil pontos até dezembro, ante previsões anteriores mais próximas dos 120 mil pontos.

Embora os economistas prevejam um crescimento fraco do PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro para este ano, a diferença ao redor dos 10 mil pontos se deve essencialmente a um cenário macroeconômico global que tende a seguir favorecendo grandes empresas do mercado brasileiro.

Em um ambiente de inflação pressionada e aumento dos juros, os especialistas preveem que commodities e bancos, que já têm sido os maiores responsáveis pela valorização recente da Bolsa, seguirão entregando resultados satisfatórios aos investidores.

A expectativa majoritária dos agentes de mercado também aponta para a continuidade de um fluxo financeiro internacional direcionado ao país, com a invasão russa na Ucrânia afastando investidores de emergentes na Europa, região mais impactada economicamente pelos conflitos.

Nesse cenário, o Ibovespa registra uma alta de aproximadamente 11,4% no acumulado de 2022, até 13 de abril, cotado aos 116.781 pontos.

A XP revisou no final de março de 123 mil para 130 mil pontos a projeção para o índice de ações em dezembro, o que passa a embutir um potencial de valorização de aproximadamente 11,3% em relação ao fechamento de quarta.

No caso do time da corretora Guide, a estimativa foi revista no mês passado de 120 mil para 130 mil pontos. E de 117 mil para 135 mil pelos cálculos dos analistas da Ativa.

Já a equipe do BofA atualizou no início de abril de 125 mil para 135 mil a projeção para o Ibovespa, embutindo uma perspectiva de alta de cerca de 15,6% até o final do ano.

Emergente em destaque

Os analistas do banco americano dizem que a mudança vem na esteira de lucros melhores do que o esperado tanto para as empresas de commodities como para os grandes bancos nos próximos balanços de resultados.

"O Brasil deve continuar a ser um importante destino entre os mercados emergentes devido ao peso de nomes de valor", apontam os analistas do BofA em relatório.

Dados da B3 indicam uma entrada de aproximadamente R$ 68 bilhões em recursos de estrangeiros na Bolsa no acumulado de 2022. A B3 chegou a corrigir no início do mês os dados sobre o fluxo de investidores internacionais no país, o que não foi suficiente a ponto de afetar a avaliação positiva de analistas sobre a região.

O BofA lembra que, em um cenário de alta dos juros globais nos Estados Unidos e na Europa, investidores têm feito um movimento de rotação das carteiras, migrando de nomes de tecnologia com alto potencial de crescimento para apostas de caráter mais cíclico em bancos e commodities.

Nesse sentido, Suzano, PetroRio, Eletrobras e Itaú Unibanco estão entre as preferências na carteira de América Latina do banco americano.

"Estamos mais otimistas do que o consenso de mercado em várias commodities (especialmente petróleo, alumínio e celulose) e em relação aos ganhos dos bancos."

Consumo interno

Na carteira recomendada da XP para abril, grandes exportadoras como Petrobras e Vale dividem espaço com as ações do Banco do Brasil.

Estrategista-chefe da XP, Fernando Ferreira diz que, caso os preços das matérias-primas sigam próximos dos níveis elevados em que se encontram no mercado internacional, as empresas do setor vão continuar tendo uma forte geração de caixa e o mercado como um todo será forçado a revisar para cima os lucros esperados para essas companhias.

Ferreira afirma também que, diante do cenário macroeconômico ainda desafiador no país, com inflação e taxas de juros crescentes e um PIB próximo de zero projetado para 2022, é cedo para fazer uma migração total para os nomes de viés mais doméstico da Bolsa.

"A perspectiva de juros mais altos no Brasil é o principal empecilho que pode impedir que as ações tenham um bom desempenho", diz o estrategista-chefe da XP.

Isso não significa dizer, porém, que não haja nenhum espaço no portfólio sugerido para papéis mais vinculados à economia local, caso de Arezzo e Iguatemi.

São nomes focados em classes de maior poder aquisitivo, que tendem a apresentar uma performance mais resiliente do que a média, afirma Ferreira.

Queda dos juros

Na Guide, a carteira recomendada de abril tem ações de consumo e varejo como Assaí e Grupo Soma, sem prejuízo, no entanto, à presença de exportadoras como Petrobras, Vale, Gerdau e JBS, além do Itaú no setor financeiro.

Analista de mercado da Guide, Rodrigo Crespi afirma que, enquanto nos países desenvolvidos o ciclo de aumento dos juros ainda está apenas no início, no Brasil, esse processo já está em estágio bem mais avançado.

E, com a possibilidade de o BC (Banco Central) começar um ciclo de corte dos juros em algum momento do segundo semestre ou no início de 2023, papéis mais ligados à atividade local que não tiveram o desempenho positivo de bancos e commodities podem ser beneficiados, prevê Crespi, acrescentando que a reabertura da economia e o aumento da mobilidade devem continuar favorecendo nomes mais vinculados ao cenário doméstico.

Além disso, ainda que parcialmente, a inflação está sendo repassada de alguma maneira ao consumidor final, o que tende a gerar um aumento nominal dos lucros, aponta o analista da Guide.

Ele diz ainda que considera o risco eleitoral relativamente baixo. Nenhum dos dois candidatos com mais chances de vitória --o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o atual mandatário Jair Bolsonaro-- deve levar a uma deterioração fiscal relevante caso eleitos, afirma Crespi.

Volatilidade no caminho Chefe de pesquisa da Ativa, Pedro Serra também aponta o contexto global favorável às commodities e bancos como a principal razão para a revisão na projeção do Ibovespa.

A carteira recomendada da corretora para abril tem nomes como Vale, Suzano e Vibra Energia, além dos bancos Bradesco e Itaú.

Serra assinala, contudo, que o caminho até os 135 mil pontos deve ser marcado por sessões de intensa volatilidade, com as eleições no Brasil e as incertezas globais acerca da guerra na Ucrânia e relativas à alta de juros nos países desenvolvidos.

De modo a se proteger dos solavancos de mercado, mas também sem deixar de aproveitar o momento favorável às commodities, o especialista indica aos investidores que tenham ações da PetroRio em detrimento das da Petrobras, naturalmente mais suscetível ao risco político intrínseco às estatais.

Entre os nomes mais vinculados à economia local, se destacam na carteira da Ativa ações de empresas como Petz, Arezzo, Natura e Grupo Mateus. "Não é para o investidor comprar ações de maneira indiscriminada, mas existem algumas boas histórias de empresas de qualidade que acabaram ficando para trás", diz Serra.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos