Mercado fechado
  • BOVESPA

    107.519,56
    +270,52 (+0,25%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.466,25
    -612,45 (-1,20%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,59
    +0,13 (+0,18%)
     
  • OURO

    1.809,40
    +7,90 (+0,44%)
     
  • BTC-USD

    17.149,13
    -62,44 (-0,36%)
     
  • CMC Crypto 200

    402,11
    -4,14 (-1,02%)
     
  • S&P500

    3.934,38
    -29,13 (-0,73%)
     
  • DOW JONES

    33.476,46
    -305,02 (-0,90%)
     
  • FTSE

    7.476,63
    +4,46 (+0,06%)
     
  • HANG SENG

    19.900,87
    +450,64 (+2,32%)
     
  • NIKKEI

    27.901,01
    +326,58 (+1,18%)
     
  • NASDAQ

    11.553,00
    -92,50 (-0,79%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5268
    +0,0262 (+0,48%)
     

Analista diz que a Netflix espera ser comprada pela Microsoft

A Netflix oficializou na última quinta-feira (14) uma parceria com a Microsoft, que vai cuidar da distribuição de anúncios e a venda de publicidade para a execução dos planos pagos com veiculação propagandas. A notícia faz bastante sentido, já que a plataforma de streaming vem perdendo assinantes, e a oferta de diferentes modelos de negócios pode ajudar a recuperar a companhia. Contudo, o real motivo dessa união, segundo rumores de bastidores, seria outro.

Laura Martin, analista sênior do banco de investimentos Needham, ventila a possibilidade de a parceria ser apenas o primeiro passo de algo muito maior. A executiva afirma que a Netflix espera que a Microsoft compre a plataforma. Mas de onde ela tirou essa informação? Bem, por enquanto, apenas de suas projeções, que, embora não tenham informações oficiais, fazem sentido na atual movimentação do mercado.

Martin afirma que a Microsoft não seria a melhor escolha de Netflix para o que ela deseja com os planos pagos com veiculação de anúncios, já que “nunca esteve no negócio e tecnologia de anúncios de terceiros”. Ela destaca que Google, Roku, FreeWheel e Magnite, além de outras empresas com operações de vendas diretas, seriam parceiros mais eficientes — e portanto opções mais lógicas. “…Pode ser que a Netflix esteja procurando uma saída”, disse, ao Yahoo Finanças.

Como a Netflix seria adquirida pela Microsoft?

Martin afirma que a Netflix quer, primeiramente, “infliltrar-se” na Microsoft, que, assim, poderia fazer uma aquisição mais fácil. “Todos os outros player que [a Netflix] teria colocado em sua publicidade não poderiam comprá-los tão cedo. Eles são muito pequenos; ou os reguladores não deixariam o Google assumir o controle da Netflix, porque os reguladores querem que o Google seja menor, não maior”, continuou a executiva.

E Martin também se baseia no fato de a Microsoft estar realizando aquisições nos últimos anos para fortalecer seus serviços de games e entretenimento, especialmente por meio das ofertas de assinatura do Xbox Game Pass. Depois de comprar a desenvolvedora Bethesda, a Gigante de Redmond também arrematou a Activision, em processo de aquisição ainda em vias de encerramento.

A Netflix seria, então, uma opção para complementar a oferta de conteúdo audiovisual da Microsoft, que já teria a plataforma de streaming até mesmo já incorporada em seus sistema de vendas e distribuição.

“Então pode ser aqui que a jogada aqui seja realmente a Netflix tentando se aproximar da Microsoft com a esperança de que, depois que a Microsoft digerir sua aquisição da Activision, ela se torne a próxima e compre a Netflix. Isso aconteceria para complementar o conteúdo de vídeo premium, assim como a Activision será no espaço dos videogames”, completou Martin.

Bem, nada disso por enquanto é certo ou confirmado por quaisquer uma das empresas envolvidas. Mas, no final das contas, tudo ali faz sentido e não se surpreenda se a Microsoft realmente anunciar a compra da Netflix muito em breve.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: