Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.221,19 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,64 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,66
    -1,87 (-2,94%)
     
  • OURO

    1.733,00
    -42,40 (-2,39%)
     
  • BTC-USD

    44.794,77
    -2.730,52 (-5,75%)
     
  • CMC Crypto 200

    912,88
    -20,25 (-2,17%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,64 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    -168,53 (-2,53%)
     
  • HANG SENG

    28.980,21
    -1.093,96 (-3,64%)
     
  • NIKKEI

    28.966,01
    -1.202,26 (-3,99%)
     
  • NASDAQ

    12.905,75
    +74,00 (+0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7583
    +0,0194 (+0,29%)
     

Anac aprova regras para compartilhamento de jatinhos

SHEYLA SANTOS
·1 minuto de leitura

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - A diretoria colegiada da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) aprovou por unanimidade, nesta terça-feira (9), o Programa de Propriedade Compartilhada de Aeronaves no Brasil, que determina regras para compartilhamento de jatinhos particulares. Com a aprovação, aviões particulares poderão ser compartilhados por até 16 cotistas e helicópteros por até 32. A nova modalidade permite que cotistas compartilhem o uso de aeronaves por meio de contrato com duração mínima de um ano. A Anac diz que, desde setembro de 2020, quando lançou o Programa Voo Simples, tem simplificado a atividade da aviação a fim de aumentar a competitividade no setor. As regras são semelhantes às da FAA (Federal Aviation Administration), autoridade responsável pelo setor nos Estados Unidos, e têm sido debatidas há seis anos pela agência. De acordo com a Anac, o texto simplifica questões técnicas, como manual de operações, fatoração de pista para pouso e adequação de treinamentos e exames. A nova regulamentação passará a valer em agosto de 2022, ou antes caso as empresas emitam documentos de especificações administrativas. Os operadores que já atuam com compartilhamento deverão apresentar a documentação exigida até fevereiro de 2022. Em outubro de 2020, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) anunciou medidas de desregulamentação da aviação para reduzir custos de companhias de pequeno porte que operam no interior do país. O pacote prevê que voos comerciais possam utilizar aeroportos particulares. A medida permite que companhias aéreas como Gol, Latam e Azul possam ofertar voos para aeroportos como o Catarina, da JHSF, na região metropolitana de São Paulo e que antes só operava com aviação executiva.