Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.669,90
    -643,10 (-0,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.627,67
    -560,43 (-1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,57
    +0,25 (+0,42%)
     
  • OURO

    1.742,00
    -2,80 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    59.897,96
    +94,16 (+0,16%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.278,12
    +50,58 (+4,12%)
     
  • S&P500

    4.128,80
    +31,63 (+0,77%)
     
  • DOW JONES

    33.800,60
    +297,00 (+0,89%)
     
  • FTSE

    6.915,75
    -26,47 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    28.698,80
    -309,30 (-1,07%)
     
  • NIKKEI

    29.757,90
    -10,16 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    13.800,75
    -28,75 (-0,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7627
    -0,0015 (-0,02%)
     

Anúncio de hacker levanta suspeita sobre vazamento de cartões de crédito de 12 milhões de brasileiros

O Globo
·1 minuto de leitura

SÃO PAULO. Um anúncio de um hacker na manhã desta quinta-feira num fórum virtual levantou suspeita de especialistas sobre um novo vazamento de informações de cartões de créditos e CPFs.

Os dados foram colocados à venda por US$ 50 mil e estariam relacionados a 12 milhões de brasileiros. De acordo com a postagem, as informações teriam sido roubadas de bases de dados ainda este mês relacionadas a um site chamado Eduzz.

O caso foi publicado pelo jornal o Estado de S.Paulo e confirmado pelo GLOBO. A página onde as informações foram publicadas é a mesma onde foram anunciadas informações em outro grande vazamento em janeiro, quando foram expostas informações de mais de 200 milhões de CPFs.

Segundo o fundador da empresa de cybersegurança Syhunt, Felipe Daragon, o hacker disponibilizou uma parte menor das amostras com informações de senhas e dados pessoais de algumas pessoas, mas não é possível saber se os dados estão completos.

-Nas amostras há uma série de senhas e indícios que reforçam as nossas suspeitas sobre um possível vazamento. Se isso se confirmar é preocupante, já que estamos falando de um número significativo de pessoas que podem ser prejudicadas - afirma Daragon.