Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.672,26
    +591,91 (+0,60%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.741,50
    +1.083,62 (+2,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    107,06
    +2,79 (+2,68%)
     
  • OURO

    1.828,10
    -1,70 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    21.331,84
    +110,51 (+0,52%)
     
  • CMC Crypto 200

    462,12
    +8,22 (+1,81%)
     
  • S&P500

    3.911,74
    +116,01 (+3,06%)
     
  • DOW JONES

    31.500,68
    +823,32 (+2,68%)
     
  • FTSE

    7.208,81
    +188,36 (+2,68%)
     
  • HANG SENG

    21.719,06
    +445,19 (+2,09%)
     
  • NIKKEI

    26.491,97
    +320,72 (+1,23%)
     
  • NASDAQ

    12.132,75
    +395,25 (+3,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5524
    +0,0407 (+0,74%)
     

Anúncio de acordo da Evergrande acalma investidores de minério

·4 min de leitura

(Bloomberg) -- O sobe e desce do minério de ferro em 2021 continua. Os preços interromperam um período de baixa sem precedentes e subiram na quarta-feira, impulsionados por notícias que ajudaram a tranquilizar investidores que monitoram a crise da China Evergrande.

Most Read from Bloomberg

A unidade onshore da incorporadora disse que chegou a um acordo com credores de títulos em yuans sobre o pagamento de juros, o que ofereceu certo alívio depois da venda global de ativos de risco provocada por incertezas sobre a estabilidade financeira da Evergrande. O banco central da China também injetou mais capital de curto prazo no sistema financeiro, ajudando a estabilizar os mercados de commodities.

Em Singapura, os futuros do minério de ferro voltaram a ser negociados acima de US$ 100 a tonelada e chegaram a subir 13,4% em relação ao menor fechamento em 16 meses. A turbulência envolvendo a Evergrande assustou o mercado no início da semana, e o insumo siderúrgico já estava sobrevendido, disse Atilla Widnell, diretor-gerente da Navigate Commodities.

Ainda assim, analistas alertam que o setor de aço da China enfrenta obstáculos no longo prazo. O minério de ferro, que liderava o boom de commodities neste ano, caiu 60% frente ao recorde acima de US$ 230 a tonelada em maio. Limites à produção de aço, juntamente medidas restritivas no mercado imobiliário e questões sobre a escassez de energia, esfriaram a demanda por minério de ferro na China.

“Com uma implantação contínua de limites ao consumo de energia, os trabalhos de manutenção em usinas têm aumentado, e os volumes de aço para a construção, em particular, caíram muito”, disse Qiu Yihong, analista da Haitong Futures. A demanda também foi afetada por casos de Covid-19, mau tempo e desaceleração mais forte do mercado imobiliário, manufatura e automóveis, disse a analista.

Mais pressão

A demanda por minério de ferro pode continuar a cair, já que o setor de aço da China, agora maduro, enfrenta novos limites de produção, que caiu para o menor nível em 17 meses em agosto. Jiangsu - província com uma economia tão grande quanto a do Canadá - restringiu o fornecimento de eletricidade para empresas, incluindo usinas.

Como consequência, o minério de ferro sentirá mais pressão, caindo para US$ 80 a US$ 90 a tonelada no próximo ano, disse Wayne Gordon, estrategista do UBS.

As perdas foram amplas. Depois que o boom do minério de ferro gerou dividendos recordes para as maiores mineradoras do mundo, as ações da BHP e Rio Tinto desde então acompanharam a queda das cotações.

Neste ano, o minério de ferro tem sido negociado, em média, a cerca de US$ 178 a tonelada, segundo dados da consultoria Mysteel Global. O UBS agora espera que a média do anual caia para US$ 163 a tonelada e projeta apenas US$ 89 para o próximo ano. A Liberum Capital prevê média de US$ 93 a tonelada em 2022.

À medida que a demanda diminui, mineradoras se apressam para exportar minério de ferro e cumprir as metas anuais. Os embarques da Vale subiram 12% na comparação semanal, e as cargas do Brasil devem continuar aumentando até o final do ano, de acordo com dados de rastreamento de navios do UBS. Estoques portuários, com 41 dias de uso, têm pesado sobre os preços, disse o banco em relatório na terça-feira.

Ainda rentáveis

Com a perspectiva baixista para o minério de ferro, o UBS cortou sua recomendação para Fortescue Metals e Vale para venda. Uma produtora australiana de menor porte suspendeu as operações depois de ter realizado apenas um embarque.

Ainda assim, grandes mineradoras continuam rentáveis: os custos de mineração na Rio Tinto, por exemplo, ficaram entre US$ 18 e US$ 18,50 a tonelada este ano.

“O preço de hoje, considerando a base de custo de produtorea australianas, ainda é um preço muito bom”, disse David Radclyffe, analista sênior de mineração da Global Mining Research.

O contrato em Singapura chegou a subir para US$ 105,20 a tonelada, antes de ser negociado a US$ 105 às 16h29, no horário local. Os futuros do minério de ferro na Bolsa de Dalian fecharam com alta de 6,3%, e os contratos futuros do aço também subiram em Xangai. As negociações na China foram reabertas depois de um feriado de dois dias.

Most Read from Bloomberg Businessweek

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos