Mercado fechará em 3 h 3 min
  • BOVESPA

    109.758,02
    -374,51 (-0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    41.982,64
    -217,95 (-0,52%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,16
    -0,55 (-1,20%)
     
  • OURO

    1.813,10
    +1,90 (+0,10%)
     
  • BTC-USD

    17.060,17
    -919,01 (-5,11%)
     
  • CMC Crypto 200

    333,43
    -37,09 (-10,01%)
     
  • S&P500

    3.629,65
    -5,76 (-0,16%)
     
  • DOW JONES

    29.872,47
    -173,77 (-0,58%)
     
  • FTSE

    6.361,03
    -30,06 (-0,47%)
     
  • HANG SENG

    26.819,45
    +149,70 (+0,56%)
     
  • NIKKEI

    26.537,31
    +240,45 (+0,91%)
     
  • NASDAQ

    12.189,00
    +36,75 (+0,30%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3314
    -0,0063 (-0,10%)
     

Análise | Wacom Intuos Pro M tem "toques premium" e oferece experiência rica

Daniele Cavalcante
·12 minuto de leitura

Mesas digitalizadoras, também conhecidas como mesas gráficas, são ferramentas importantes para artistas que optam pela ilustração e pintura digital. Mas com tantos modelos disponíveis no mercado, pode ficar um pouco difícil escolher sem antes experimentar — ainda mais algo que depende tanto de gosto pessoal e experiências sensoriais. Ou seja, bom mesmo é colocar as mãos em algumas das opções antes de escolher.

Bem, tivemos a chance de experimentar um modelo muito atraente: o Wacom Intuos Pro M. Usamos a mesa por alguns dias, fizemos algumas ilustrações e pinturas digitais e agora vamos compartilhar nossas impressões sobre o produto com você, leitor do Canaltech.

(Imagem: Daniele Cavalcante/Canaltech)
(Imagem: Daniele Cavalcante/Canaltech)

Mesas gráficas podem ser um tanto parecidas — afinal, são apenas um retângulo sobre o qual riscamos com uma stylus para obter traços digitais em algum software de edição de imagens. Mas não é bem assim. Entre um modelo e outro, há grandes diferenças em detalhes que podem ser decisivos para a sua experiência. E são justamente esses detalhes que podem se tornar um grande trunfo para a sua produtividade, além de deixar o produto mais caro.

Com a Intuos Pro não é diferente. Mesmo que atualmente a maioria dos modelos de entrada já possuam botões de atalho e canetas com altos níveis de pressão, por exemplo, o modelo da Wacom ainda pode ser chamada de “linha intermediária com toques premium”. Isso porque além de ser uma mesa robusta e de acabamento excelente que transmite bastante confiança, ela conta com uma série de recursos como conectividade Bluetooth e acessórios para enriquecer ainda mais sua experiência.

Tirando da caixa

(Imagem: Daniele Cavalcante/Canaltech)
(Imagem: Daniele Cavalcante/Canaltech)

Abrir a caixa da Intuos Pro M é bem bacana — ela de fato entrega a sensação de estarmos diante de um produto bem elaborado. Dentro da caixa, acessamos logo de cara a mesa em si, protegida por um plástico. A primeira impressão é: que pesada! Calma, não é nada como um tijolo, mas para alguém acostumado com modelos bem mais básicos, é uma diferença que impressiona. São 700 g em uma mesinha de 338 x 219 x 8 mm. Além disso, ela é bastante sólida e você fica com a segurança de que vai durar por um bom tempo.

Embaixo dela estão os acessórios: um cabo USB-C; a caneta stylus; anéis coloridos para ajudar a identificar cada caneta da sua coleção (existem pelo menos seis canetas Wacom compatíveis com esta mesa, incluindo a Wacom Pro Pen 3D); um suporte para a stylus e alguns papéis (guias de usuário e uma amostra de folhas de texturas, sobre a qual falaremos mais adiante).

Ao conectar a mesa ao PC, o Windows ou macOS abre uma pasta com arquivos de orientação do usuário. Um deles é um atalho para o site do produto, que tem uma apresentação com textos e vídeos de introdução que mostram o processo de instalação do drive e outros detalhes para começar a usar sua mesa. É um pouco confuso, você vai ter que achar o driver lá embaixo, neste mesmo site, para fazer o download. Sim, você vai precisar de internet para instalar o driver e usar sua mesa.

Pintura digital feita com a Wacom Intuos Pro M (Imagem: Daniele Cavalcante/Canaltech)
Pintura digital feita com a Wacom Intuos Pro M (Imagem: Daniele Cavalcante/Canaltech)

Mais abaixo você encontra outros vídeos que mostram como configurar as teclas de atalho, entre outras funções. Se você nunca utilizou uma mesa com teclas de atalho, é muito recomendável assistir a tudo antes de começar a usar. Configurar os atalhos de acordo com sua preferência pode ser um pouco desafiador, então separe um tempinho para olhar cada tela do driver com bastante atenção e explorar as possibilidades.

Embora a mesa seja meio espessa, ela adere muito bem às superfícies e oferece bastante conforto ao desenhar. A traseira é um “ímã de digitais”, mas não é como se você precisasse ficar olhando para ela, certo?

Wacom Pro Pen 2

(Imagem: Daniele Cavalcante/Canaltech)
(Imagem: Daniele Cavalcante/Canaltech)

Com design elegante, a caneta da Intuos Pro vem com 5080 lpi de resolução, 8192 níveis de pressão e reconhecimento de inclinação em cerca de 60 níveis. Ao contrário de alguns modelos concorrentes, os dois botões laterais da caneta são muito bem colocados, não é problema algum acessar as funções. Além disso, não utiliza pilhas ou cabos — ou seja, é muito leve e confortável.

Talvez a parte mais legal da caneta seja a ponta traseira, que funciona como uma borracha. Quando você gira a caneta com a ponta mais grossa para baixo, o software de edição de imagens reconhece automaticamente que você está selecionando a ferramenta borracha. Isso faz com que você não precise configurar um dos botões de atalho para essa ferramenta — sobra um botão a mais para outras funções.

(Imagem: Daniele Cavalcante/Canaltech)
(Imagem: Daniele Cavalcante/Canaltech)

Além disso, essa ponta da borracha também reconhece pressão. Quanto mais você pressioná-la, maior será o tamanho da borracha na sua tela. O único inconveniente é que esse lado do acessório é feito de um plástico bem rígido — poderia ser um material um pouco mais macio, já que eventualmente iremos esfregá-lo com certa pressão sobre a mesa. Resolvi isso diminuindo a sensibilidade para que não fosse necessário pressioná-la tanto para obter o nível desejado. Ah, você também pode configurar a sensibilidade da pressão e do duplo toque da outra ponta, o que é muito útil ao trabalhar com diversos tipos de pincéis e estilos artísticos.

Os botões da caneta podem realizar qualquer comando que você queira configurar no driver, seja um comando de teclado, seja um atalho para trocar de ferramentas no software de imagem. Também pode associar a eles um menu circular da própria Wacom, que lhe oferece a opção de criar ainda mais atalhos. São tantas as possibilidades que provavelmente você nem saberá o que fazer com tantos atalhos por um bom tempo — eu mesma não precisei utilizar todos em minhas ilustrações.

Atalhos e mais atalhos

(Imagem: Daniele Cavalcante/Canaltech)
(Imagem: Daniele Cavalcante/Canaltech)

Depois de experimentar a caneta com as primeiras linhas e testar alguns botões, é hora de finalmente esboçar alguma coisa. Logo de cara achei muito prática a orientação da mesa, com os botões na lateral, e não no topo. É muito mais fácil desenhar com a caneta em uma mão e os botões na outra, bem ao lado. Ah, você também pode alterar a orientação da mesa nas configurações. Assim, se você for canhoto, basta configurar para que os botões fiquem do lado esquerdo. E, claro, também pode usar no modo retrato.

Se a sua intenção é se livrar completamente do mouse e teclado enquanto desenha, esta mesa tem atalhos em toda parte para associar o comando que desejar. Não estamos falando apenas dos botões na lateral da mesa, ou na caneta em si: além de um touch ring, a própria área útil da mesa é sensível ao toque, e aceita alguns comandos com os dedos.

Se você utiliza mais de um software de edição de imagens — por exemplo, o Photoshop e o Krita —, ainda poderá configurar alguns atalhos especificamente para cada um deles. Quando o Photoshop for aberto, por exemplo, você encontrará o ícone dele entre as opções na tela de configurações de atalhos, e é ali onde colocará os comandos específicos para ele. Além disso, você pode salvar todas essas configurações na nuvem.

Botões

(Imagem: Daniele Cavalcante/Canaltech)
(Imagem: Daniele Cavalcante/Canaltech)

Os oito botões de atalhos da lateral são os mais fáceis de usar, então você vai querer colocar ali os comandos que mais utiliza — atalhos para inverter as cores de primeiro e segundo plano, conta-gotas, pincel, seleção de máscara e por aí vai. Tudo o que pode ser feito com um comando de teclado em seu software de edição pode ser configurado para executar através dos botões. Quer um botão para criar uma nova camada? Pode. Criar um novo arquivo? Tranquilo. Exportar imagem? Pode também.

Esqueceu-se qual comando você associou a um dos botões? Não tem problema, basta tocar em um botão, sem pressioná-lo, e aparecerá na tela o nome da função que você configurou (o nome da função você terá que colocar manualmente na mesma tela de configuração dos atalhos/funções dos botões).

Talvez você leve algum tempo para decidir quais atalhos serão mais úteis, mas vale a pena dedicar um tempo a isso.

Touch Ring

Troca de pontas da caneta (Imagem: Daniele Cavalcante/Canaltech)
Troca de pontas da caneta (Imagem: Daniele Cavalcante/Canaltech)

O círculo que fica entre os oito botões de atalho é incrivelmente útil. Pode não ser indispensável, mas se você quer facilidade para aumentar e diminuir o tamanho do pincel, vai amar o touch ring dessa mesa da Wacom. Basta selecionar o pincel (nesse ponto você provavelmente já estará fazendo isso através de um dos oito botões laterais) e deslizar o dedo no círculo — sentido horário para aumentar e anti-horário para diminuir o tamanho do pincel.

No meio do touch ring, há mais um botão. Ele serve para selecionar entre até quatro funções, que você pode configurar no driver; há alguns recursos que fazem mais sentido do que outros para o movimento de deslizar o dedo no círculo: aumentar e diminuir o pincel, zoom e rotação da área de trabalho são alguns deles.

Porém, fica o alerta para usuários de softwares que não sejam o Photoshop: usando o Krita e o SAI, o touch ring não executa bem todas as suas funções (tive mais dificuldade na hora de diminuir o tamanho do pincel, embora no Krita as coisas pareçam funcionar um pouco melhor). Também não é muito compatível com o Pyxel Edit e, como trabalho com pixel art, achei bem desanimadora essa incompatibilidade.

Função multi-touch

(Imagem: Daniele Cavalcante/Canaltech)
(Imagem: Daniele Cavalcante/Canaltech)

Outro recurso que é um grande diferencial da Intuos Pro M em relação a muitos modelos similares é o multi-toque, que funciona mais ou menos como a touchscreen de um smartphone. Basicamente, a área útil (na qual você desenha com a caneta) reconhece toques e comandos com os dedos, o que é bastante conveniente.

Alguns exemplos de gestos muito úteis são o gesto de pinça (zoom in e zoom out) e deslizar três dedos para mover a tela digital. Infelizmente, há momentos em que os comandos falham, o que acaba incomodando um pouco. Há também comandos para captura de tela, alternar entre aplicativos e ir à área de trabalho do sistema operacional. Como dissemos antes, a ideia é, de fato, se livrar do mouse e teclado enquanto desenha.

A única ressalva aqui é a ausência de uma luva de desenho, daquelas que cobrem a mão e os dedos mínimo e anelar. É que com a função multi-toque ativada e sem anulação de atrito da sua mão com a superfície, você acaba tendo que erguer o pulso com certa frequência e acabar esbarrando de modo que aciona algum dos comandos sem querer. Claro, não é todo mundo que curte desenhar com uma luva, e você pode sempre desativar o modo multi-toque no botão localizado na lateral da mesa.

Acessórios

(Imagem: Daniele Cavalcante/Canaltech)
(Imagem: Daniele Cavalcante/Canaltech)

Quando se fala em Wacom, também estamos falando de acessórios. Não são muitos, mas podem ser bem úteis para melhorar a experiência. É uma forma que a empresa encontrou de se diferenciar da concorrência, fornecendo alguns recursos a mais. O problema, como sempre, é o preço de cada um deles.

Como não veio quase nenhum acessório na caixa da Intuos Pro M, vamos apenas mencionar um dos principais deles, pois pode fazer a diferença na hora de escolher sua próxima mesa gráfica. Estamos falando das folhas de texturas, que você pode comprar separadamente para ter uma experiência diferente ao desenhar. Na caixa da Intuos Pro M, você encontrará uma amostra de três texturas: standard (textura padrão que já vem na própria mesa), rough (um pouco mais áspera) e soft (bem mais lisa). Com as amostras, você pode experimentar a stylus para saber se alguma das opções lhe agrada.

Não recebemos as folhas para testar a experiência de trocá-las, mas podemos dizer que se trata de um adesivo, na verdade. Ao comprar uma nova folha, você receberá uma ferramenta para remover a atual (sim, toda a superfície da Intuos Pro M que você vê nas fotos é um adesivo substituível). Tenha em mente que quanto mais áspera for a textura, mais rápido as pontas da sua caneta irão desgastar. Ah, as próprias folhas acabam desgastando um pouquinho com o tempo, por isso a standard também está à venda.

(Imagem: Daniele Cavalcante/Canaltech)
(Imagem: Daniele Cavalcante/Canaltech)

Falando em pontas, outro acessório que merece destaque são as pontas de feltro — a Intuos Pro M vem com quatro unidades. Elas já oferecem uma experiência de rugosidade muito bacana, então se os traços lisos demais não lhe agradam, essas pontas podem ser para você. Se desejar algo ainda mais áspero, as pontas de feltro sobre uma folha rough devem ser o suficiente.

Vale a pena?

É difícil não gostar de um produto da Wacom, mesmo que encontremos alguns problemas (não existe produto perfeito, né?). Embora haja alguns modelos similares de outras marcas, a Wacom oferece um produto mais robusto, confiável e alguns acessórios que podem melhorar sua experiência. Sem dúvida é uma ferramenta que poderá acompanhar os profissionais por muito tempo.

Desenho feito com ponta de feltro da Wacom Pro Pen 2 e pincéis que simulam lápis de cor (Imagem: Daniele Cavalcante/Canaltech)
Desenho feito com ponta de feltro da Wacom Pro Pen 2 e pincéis que simulam lápis de cor (Imagem: Daniele Cavalcante/Canaltech)

Algumas coisas ainda podem ser melhoradas, como o touch ring e a função multi-touch, que podem falhar com certa frequência, e a durabilidade das pontas (com alguns dias de uso já percebi um certo desgaste). A quantidade de botões configuráveis e comandos multi-touch disponíveis neste modelo também pode confundir um pouco aqueles que não estão muito familiarizados. Se você quer apenas uma mesa para plugar e começar a desenhar sem se preocupar com mais nada, talvez prefira um modelo mais básico e mais em conta. Caso queira o melhor que uma mesa pode oferecer, a Intuos Pro M pode ser sua opção.

Não é um produto barato, e por isso outras marcas tentam oferecer produtos similares custando bem menos. Apesar dessa aproximação da concorrência (que, convenhamos, têm conquistado boa parcela do público iniciante e intermediário nas artes gráficas), a Wacom continua sendo a melhor opção em termos de confiança: você terá uma mesa forte e robusta, garantia de dois anos, loja online no Brasil para comprar acessórios e itens de reposição, suporte, assistência técnica e serviço de nuvem.

*A Intuos Pro M testada pelo Canaltech foi gentilmente emprestada pela Wacom para a realização deste review.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: