Mercado fechado

Análise: Varejo frustra expectativa e caminha para alta menor que em 2018

Ana Conceição

Resultados de novembro na comparação com o mesmo mês do ano anterior foram os menores desde 2016 Os números do varejo restrito e ampliado vieram bem abaixo da mediana das previsões dos economistas em novembro. Os dados frustraram após indicadores que mostravam vendas expressivas na Black Friday. Também se esperava que o saque das contas do FGTS impulsionasse mais o comércio.

No caso do varejo restrito, a maioria das projeções estava bem acima do resultado mostrado pelo IBGE, de alta de 0,6%. A mediana apontava crescimento de 1,3% sobre outubro, com ajuste sazonal. No varejo ampliado, poucas instituições esperavam queda no dado. A mediana era de alta de 0,4%, houve queda de 0,5%.

IBGE: Carnes limitaram vendas de supermercados em novembro

Ibre-FGV: Decepção não muda cenário básico para o consumo

Black Friday e conjuntura garantiram alta do consumo, diz IBGE

Além disso, os resultados na comparação com novembro do ano anterior foram os menores desde 2016 em ambos os casos. No ampliado, houve alta de 3,8%, no restrito, 2,9%.

Os dados até novembro mostram desaceleração no crescimento do varejo, que em 2019 caminha para fechar com um crescimento menor que em 2018. Em 12 meses, o varejo restrito acumula crescimento de apenas 1,6%, e o ampliado sobe 3,6%. Em 2018, eles fecharam com alta de 2,3% e 5%, respectivamente.

Além de frustrar as projeções, os números também devem decepcionar um pouco quem espera que a atividade seja majoritariamente puxada pelo consumo das famílias, ainda que o desemprego siga alto e a renda, baixa.

Movimento no varejo em novembro ficou abaixo do esperado

Daniela Dacorso/Agência O Globo