Mercado abrirá em 5 h 7 min
  • BOVESPA

    108.451,20
    +74,85 (+0,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.442,21
    +436,10 (+0,97%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,47
    -1,68 (-2,05%)
     
  • OURO

    1.651,20
    -18,80 (-1,13%)
     
  • BTC-USD

    19.326,80
    +552,31 (+2,94%)
     
  • CMC Crypto 200

    440,77
    +11,99 (+2,80%)
     
  • S&P500

    3.719,04
    +71,75 (+1,97%)
     
  • DOW JONES

    29.683,74
    +548,75 (+1,88%)
     
  • FTSE

    6.856,52
    -148,87 (-2,13%)
     
  • HANG SENG

    17.082,18
    -168,70 (-0,98%)
     
  • NIKKEI

    26.422,05
    +248,07 (+0,95%)
     
  • NASDAQ

    11.387,75
    -168,00 (-1,45%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2060
    -0,0266 (-0,51%)
     

Análise: Estreia do Brasil na Copa América foi ótima, mas com o 'pé na forma' a sequência pode ser melhor

·1 min de leitura


A vitória da Seleção Brasileira por 3 a 0 sobre a Venezuela na abertura da Copa América, no último domingo (12) foi tranquila até demais.

Com 62% de posse de bola e cinco vezes mais finalizações que os adversários, a impressão dada pela equipe treinada por Tite é que uma goleada era b em acessível, mas não aconteceu e ficamos no placar clássico – muito graças ao gol de Gabigol próximo aos acréscimos do segundo tempo.

>> Confira a tabela da Copa América e simule os próximos jogos
>> Baixe o novo app de resultados do LANCE!

A Seleção Venezuelana em momento algum quis sair para o jogo e se arriscar, ainda que minimamente, o Brasil. Os brasileiros, por sua vez, tinham a bola e dois atacantes inspirados, querendo o jogo a todo tempo^: Neymar e Richarlison.

Vale ressaltar, inclusive, que o Menino Ney assumiu o protagonismo que lhe é esperado, buscando jogo, indo para cima dos adversários, distribuindo a bola para os companheiros, e participou diretamente dos dois primeiros tentos da Seleção, em Brasília, cobrando o escanteio que resultou no primeiro gol brasileiro, ainda na etapa inicial, e depois convertendo um pênalti sofrido por Danilo, já no segundo tempo.

É difícil falar sobre melhorias e um time que venceu por 3 a 0, não tomou sustos e foi amplamente superior, mas acredito que dá para a Seleção Brasileira pode colocar o pé mais na força e melhorar o seu poder de definição, já que quando enfrentar um adversário mais qualificado perder muitos gols pode ser letal.