Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.294,68
    +997,55 (+0,84%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.329,84
    +826,13 (+1,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    62,92
    -0,23 (-0,36%)
     
  • OURO

    1.737,10
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    63.106,80
    -288,89 (-0,46%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.369,95
    -5,82 (-0,42%)
     
  • S&P500

    4.124,66
    -16,93 (-0,41%)
     
  • DOW JONES

    33.730,89
    +53,62 (+0,16%)
     
  • FTSE

    6.939,58
    +49,09 (+0,71%)
     
  • HANG SENG

    28.791,72
    -109,11 (-0,38%)
     
  • NIKKEI

    29.711,91
    +90,92 (+0,31%)
     
  • NASDAQ

    13.812,75
    +14,00 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7743
    +0,0014 (+0,02%)
     

Análise | DLC de Total War: Three Kingdoms traz mais conteúdos para um gigante

Wagner Wakka
·8 minuto de leitura

Total War: Three Kingdoms é um daqueles games para quem gosta de mergulhar em um mar de possibilidades. O título se encaixa no gênero de estratégia por turnos, com elementos que lembram bem grandes nomes como Civilization.

O jogo foi originalmente lançado em 2019 e já conta com cinco DLCs, sendo que a mais recente delas, Fates Divided, chegou em 11 de março. Ou seja, quem acompanhou o título de lá para cá tem muito material para aproveitar.

É por isso que entrar em Total War: Three Kingdoms é um belo de um desafio para quem não subiu no trem do hype lá em 2019. Estamos falando de um game que, na versão mais básica, já soma mecânicas em cima de mecânicas e que pode fazer um novato estranhar. Logo, é preciso dizer aqui, de cara, que Total War: Three Kingdoms é um jogo para quem já curte o estilo de jogos de estratégia em turnos, com toda profundidade que o gênero pede.

Claro, ele tem algumas mecânicas que podem pegar na mão de novatos, mas, ainda assim, exige bastante de quem começa agora. Um exemplo disso é exatamente este jornalista que vos escreve agora, portanto me permitam um relato pessoal.

Quando entrei de cabeça em Total War: Three Kingdoms para esta análise, caí despretensioso, sem saber exatamente do que se tratava. Tanto mecanicamente, quanto para a história do jogo. Confesso que foi um erro.

Este game é daqueles que exigem certa preparação. Diante disso, mergulhei em algumas páginas do Reddit em busca de entender, ao menos, o básico do jogo para aprofundar nas mecânicas do DLC Fates Divided, que é o centro deste review.

Com esta bagagem em mãos, vamos ao que se trata o DLC de Total War: Three Kingdoms.

Aporte histórico

A franquia é conhecida exatamente por trazer para o universo dos jogos parte da conhecida história de grades nações do mundo. No caso de Three Kingdoms, a trama da campanha discorre do período da China conhecido por Três Reinos, nos quais seis dinastias disputaram o controle da região.

Aqui, novamente vale um convite para conhecer, ao menos, o básico da história para cair no jogo. No caso, uma boa lida na página da Wikipedia sobre o período dos Três Reinos já ajuda a conhecer bem os personagens dos quais estamos falando.

<em>história envolve a batalha entre dois grandes exércitos (Foto: Wagner Wakka/Canaltech)</em>
história envolve a batalha entre dois grandes exércitos (Foto: Wagner Wakka/Canaltech)

O game é bastante ruim em apresentar todos os grandes líderes, o que fazem e traz nomes atrás de nomes, com dinastias atrás de dinastias. Assim, ter esta base é quase crucial para aproveitar melhor Total War.

Fates Divaded, como o quinto DLC do título, já coloca a trama lá na frente da disputa. Estamos no ano 200 da Era Comum — como os chineses chamam a contagem do tempo Depois de Cristo —, quando dois dos grandes líderes basicamente detinham o controle de toda a China.

Cao Cao e Yuan Shao uniram forças para conseguir derrotar os inimigos e sobreviver diante dos principais inimigos. A questão é que, agora, um dos dois precisa ser o único dominante da região.

Este pano de fundo define duas coisas importantes que impactam na gameplay de Total War: Three Kingdoms. A primeira é que o jogador pode escolher começar o DLC com Cao Cao ou Yuan Shao e decidir o futuro da China diante disso.

<em>Cao Cao e Yuan Shao são os nomes de DLC (Foto: Wagner Wakka/Canaltech)</em>
Cao Cao e Yuan Shao são os nomes de DLC (Foto: Wagner Wakka/Canaltech)

Além disso, o jogador também cai em uma trama já avançada, com o mapa bastante complexo e bastante elementos para gerenciar. O jogo ainda fornece a possibilidade de começar o DLC com outros dois personagens com gerenciamento mais simples, mas aí se perde toda a trama interessante entre os dois rivais.

Portanto, novamente: é possível já entrar no game e cair direto neste DLC, mas, como grande parte dos conteúdos extras, ele não é feito para iniciantes. Cair desavisado neste gameplay vai criar uma sensação que deve ser próxima a começar a ler Game of Thrones pelo quinto livro.

Mecânicas

Como um pacote de novos conteúdos, há também uma nova mecânica para o jogo. Contudo, vamos começar pelo básico.

Em Total War: Three Kingdoms você tem uma rodada para fazer um movimento com suas tropas, além de modificar alguma estrutura do seu governo e sociedade. Como estamos diante de um game com muitas e muitas mecânicas, esses movimentos podem incluir ações bem variadas.

Do lado do exército, a movimentação pode incluir um ataque a um inimigo (e resolver a questão em uma rodada), cercar uma vila e deixar a população com fome (o que envolve mais rodadas) ou simplesmente colocar sua tropa para descansar (ficando assim, vulnerável).

<em>é bastante coisa para se resolver pelo mapa de Total War: Three Kingdoms (Foto: Wagner Wakka/Canaltech)</em>
é bastante coisa para se resolver pelo mapa de Total War: Three Kingdoms (Foto: Wagner Wakka/Canaltech)

Já para o gerenciamento, a gama de possibilidades é bem maior. É preciso escolher chefes de vilarejos que você já tomou, optar onde colocar seus investimentos (em avanço de exército, pesquisas, comida…) e definir a hierarquia das pessoas mais próximas.

Logo, vá com calma e dê tempo para que tudo possa ser lido com paciência e compreendido, pois há bastante a se aprender por aqui.

Dito isso, vamos à novidade: uma mecânica inédita chamada Intriga Imperial. Este é o único recurso do título que também chega com atualização gratuita para todos os jogadores.

A ideia é fazer com que você possa bajular o imperador o melhor possível e colocar os exércitos de Han contra os inimigos. Assim, se puser investimento e inteligência suficientes nesta mecânica, pode, por exemplo, conseguir exércitos extras e recursos para conseguir vencer o adversário.

De certa forma, alcançar a “graça imperial” faz com que você tenha o exército do Império ao seu lado, podendo indicar quais são os pontos principais de ataque para dar apoio aos seus movimentos.

<em>Nova mecânica permite colocar exércitos imperiais contra inimigos (Foto: Wagner Wakka/Canaltech)</em>
Nova mecânica permite colocar exércitos imperiais contra inimigos (Foto: Wagner Wakka/Canaltech)

A nova mecânica foi vista com bons olhos pela comunidade no Reddit, já que oferece uma boa ferramenta para os jogadores que gostam de se manter na não-violência e vencer pela agressividade de aliados.

As batalhas

Um dos pontos de destaque de Total War: Three Kingdoms está nos momentos de confronto. Quando o jogador chama outro exército para uma batalha, o game entra em uma tela especial.

Aqui, é possível ver todas as suas tropas disponíveis, separadas em pelotões, e organizar uma investida com a melhor estratégia para a vitória. O ponto de destaque é como o jogo permite muitos e muitos personagens na tela, passando uma imersão bem interessante de que se está acompanhando uma batalha.

Se você já está em um momento mais avançado no jogo, conhecendo bem as suas tropas, pode até se arriscar em partir para cima de um exército com maior poder que o seu. Contudo, saiba que aquela famosa estratégia bem feita vai ter que fazer a diferença.

<em>Jogador precisa controla pelotões de centenas de personagens pelo mapa (Foto: Wagner Wakka/Canaltech)</em>
Jogador precisa controla pelotões de centenas de personagens pelo mapa (Foto: Wagner Wakka/Canaltech)

O DLC também adiciona algumas unidades especiais como os Lanceiros de Vanguarda de Ye, a Cavalaria Nobre Xiongnu e as Alabardas de Qingzhou. Contudo, tais personagens são mais estéticos e premium no seu exército do que exatamente oferecem habilidades especiais nos confrontos.

É bom?

Total War: Three Kingdoms mostra que é um jogo bastante maduro de uma franquia que já dura mais de 15 anos. É possível ver que os desenvolvedores estão refinando bem tudo que este game pode oferecer.

Um ponto negativo seria o “peso” de Total War: Three Kingdoms. Diante de muita animação, várias camadas de mecânicas e bastante falas, o jogo traz loadings bem demorados. Por conta disso, é importante separar aí quase 40 GB do seu SSD para tentar minimizar a quantidade de tempo de carregamento. No meu caso, mesmo passando o jogo do HDD para o SSD, a sensação foi que de jogo demorou menos para ser carregado, mas espere ainda mais de um minuto para abrir.

A questão do loading é ainda mais gritante nas batalhas. Como o jogo precisa carregar um novo mapa e colocar as centenas de personagens para batalhar ali, também espere um longo período de carregamento. Isso pode fazer com que o jogador novato até desista da estratégia de enfrentar um oponente aqui ou ali só para não ter que ficar mais de minuto aguardando o jogo carregar.

Fora isso, Total War: Three Kingdoms é um prato cheio, com muitos elementos para quem é amante de jogos estilo estratégia em turno. Ainda, aos que curtem conhecer mais sobre a história da China, é um ótimo modo de mergulhar no passado do gigante oriental.

Fates Divided também oferece uma boa quantidade de conteúdos, embora não fuja muito das mecânicas básicas de Total War. Assim, a indicação é: comece com o jogo sem o DLC e, se você realmente gostar e quiser mais do que viu, corra atrás do conteúdo extra.

Total War: Three Kingdoms foi desenvolvido pela Creative Assembly e publicado pela SEGA. O DLC Fates Divided foi lançada para PC em 11 de março.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: