Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.441,03
    -635,14 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,13 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,78
    +0,49 (+0,70%)
     
  • OURO

    1.879,50
    -16,90 (-0,89%)
     
  • BTC-USD

    35.842,24
    -1.503,74 (-4,03%)
     
  • CMC Crypto 200

    924,19
    -17,62 (-1,87%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,36 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.134,06
    +45,88 (+0,65%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,25 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    28.948,73
    -9,83 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    13.992,75
    +33,00 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1926
    +0,0391 (+0,64%)
     

Amil é multada em R$ 10 milhões por aumentos considerados abusivos

·1 minuto de leitura
Amil: multada pelo Procon-SP em R$ 10 milhões. (Foto ilustrativa: Getty Images)
Amil: multada pelo Procon-SP em R$ 10 milhões. (Foto ilustrativa: Getty Images)

A Amil, operadora de planos de saúde, foi multada em mais de R$ 10 milhões pelo Procon-SP, por atividades consideradas abusivas. As informações são da revista Exame.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

Segundo o Procon, a empresa aplicou reajustes de valor em seus planos por mudança de faixa etária acima do permitido pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Ainda segundo o órgão, a Amil se recusou a informar os dados necessários para a realização de uma análise mais aprofundada sobre os ajustes.

Leia também:

“A Amil foi multada em mais de 10 milhões de reais por ter aplicado aumento para as faixas etárias acima de 49 anos em média 50% mais do que o autorizado pela ANS, causando um prejuízo às pessoas justamente quando elas estão numa faixa etária de maior vulnerabilidade”, disse em nota à Exame Fernando Capaz, diretor-executivo do Procon-SP.

“Além disso, recusou-se a informar ao Procon-SP sobre os índices de sinistralidade de 2020, deixando de explicar qual a razão para ter aumentado os planos de contratos coletivos empresariais.”

O valor da multa aplicado é baseado no porte da empresa, e nas vantagens obtidas sobre o consumidor, seguindo as diretrizes estabelecidas no Código de Defesa do Consumidor.

A Amil disse que analisará o caso, e apresentará sua defesa para recorrer à multa.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube