Mercado fechará em 2 h 52 min
  • BOVESPA

    113.344,61
    +1.071,60 (+0,95%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.586,51
    +65,08 (+0,12%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,99
    +1,09 (+1,40%)
     
  • OURO

    1.944,60
    +5,40 (+0,28%)
     
  • BTC-USD

    23.131,69
    -45,94 (-0,20%)
     
  • CMC Crypto 200

    524,94
    +6,15 (+1,18%)
     
  • S&P500

    4.043,03
    +25,26 (+0,63%)
     
  • DOW JONES

    33.803,94
    +86,85 (+0,26%)
     
  • FTSE

    7.774,70
    -10,17 (-0,13%)
     
  • HANG SENG

    21.842,33
    -227,40 (-1,03%)
     
  • NIKKEI

    27.327,11
    -106,29 (-0,39%)
     
  • NASDAQ

    12.070,50
    +102,50 (+0,86%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5300
    -0,0170 (-0,31%)
     

Americanas se reúne com sindicalistas

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Depois da reunião dos dirigentes sindicais com a Americanas nesta terça-feira (24), a empresa não descartou demissões. Em nota, a companhia afirma que "é comum que haja reestruturação" e diz que se compromete a manter os trabalhadores e outros públicos informados.

Segundo Ricardo Patah, presidente da central sindical UGT (União Geral dos Trabalhadores), o plano de fazer uma manifestação na próxima semana está mantido.

"Devemos fazer um grande ato no Rio para pressionar. Precisamos humanizar os mais de 40 mil trabalhadores e suas famílias, porque, além dos bancos e dos acionistas de que tanto falam, eles são os maiores prejudicados", diz Patah.

O deputado Luiz Carlos Motta, presidente da CNTC (confederação dos trabalhadores no comércio), diz que vai propor projeto de lei que valorize a atuação sindical em recuperações judiciais e falências, além de assinar pedido de CPI para o caso Americanas e sugerir ao governo a criação de grupo para acompanhar o problema.