Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.523,47
    -1.617,17 (-1,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.049,05
    +174,14 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,23
    -2,65 (-3,49%)
     
  • OURO

    1.877,70
    -53,10 (-2,75%)
     
  • BTC-USD

    23.313,27
    -231,62 (-0,98%)
     
  • CMC Crypto 200

    535,42
    -1,43 (-0,27%)
     
  • S&P500

    4.136,48
    -43,28 (-1,04%)
     
  • DOW JONES

    33.926,01
    -127,93 (-0,38%)
     
  • FTSE

    7.901,80
    +81,64 (+1,04%)
     
  • HANG SENG

    21.660,47
    -297,89 (-1,36%)
     
  • NIKKEI

    27.509,46
    +107,41 (+0,39%)
     
  • NASDAQ

    12.616,50
    -230,25 (-1,79%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5385
    +0,0488 (+0,89%)
     

Americanas divulga lista de credores que inclui vários bancos e big techs

Depois de chocar o mercado financeiro no dia 11 de janeiro, após a divulgação de “inconsistências financeiras” inicialmente avaliadas em mais de R$ 20 bilhões — e que chegam a R$ 43 bilhões —, a Americanas entraram com o processo de recuperação judicial na última quinta-feira (19). E, como parte do processo, o grupo listou nesta quarta-feira (25) a lista de credores, que inclui vários bancos tradicionais e grandes empresas de tecnologia.

No documento apresentado pela Americanas consta dívidas com bancos como BTG Pactual (R$ 3,508,096,916.88), Bradesco (R$ 4,571,225,982.22), Banco do Brasil (R$ 1,360,232,193.18), Santander (R$ 3,652,622,926.05), Itaú Unibanco (R$ 2,765,920,046.11), Deustche Bank (R$ 5,225,967,310.42). Já entre as grande empresas de tecnologia, figuram Facebook (R$ 11,484,888.19), LG Electronics (R$ 52,857,202.13), LinkedIn (R$ 437,395.16), Sony Brasil (R$ 55,821,285.27), Twitter (R$ 304,590.30), Samsung (R$ 1,209,158,626.54), entre outras.

A lista completa conta mais de 7,9 mil nomes, entre pessoas físicas, companhias aéreas, transportadoras, empresas de serviços e produtos e até a fabricante de bebidas Ambev (R$ 4,099,107.87, que também tem como donos os principais acionistas da Americanas — Jorge Paulo Lemann, Marcel Telles e Carlos Alberto Sicupira. Também foram citadas companhias de cashback, a exemplo da própria Ame, e de programas de pontos, com a Livelo e Esfera.

A Americanas, em comunicado aos consumidores, negam a possibilidade de falência e dizem seguir com as operações “normais”, enquanto seguem no processo de recuperação judicial.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: