Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,91 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,62 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,96
    -0,65 (-0,90%)
     
  • OURO

    1.753,90
    -2,80 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    48.481,77
    +1.013,33 (+2,13%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.193,48
    -32,05 (-2,62%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,44 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.282,75
    -226,75 (-1,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1994
    +0,0146 (+0,24%)
     

AMD pode integrar GPUs RDNA 2 em toda a linha Ryzen 6000, sugerem vazamentos

·3 minuto de leitura

O recente sequestro digital sofrido pela Gigabyte rendeu inúmeros vazamentos, especialmente de novidades confidenciais da AMD. Entre elas, os documentos divulgados apontaram para novos chips de servidores massivos com até 96 núcleos com a chegada da família EPYC Genoa, além de melhorias mais modestas da linha Threadripper 5000 com microarquitetura Zen 3.

No entanto, os detalhes mais interessantes para consumidores comuns estão nas informações sobre o AM5, próximo soquete para CPUs aguardado para estrear junto à suposta família Ryzen 6000, baseada na microarquitetura Zen 4. Tudo indica que os próximos processadores da companhia devem contar com upgrades significativos, além de algumas notícias decepcionantes.

Linha Ryzen 6000 pode contar com iGPUs RDNA 2

Os primeiros registros tratam dos diferentes recursos embarcados nos processadores compatíveis com o soquete AM5. Além de memória DDR5, operando em até 2 canais, todas as famílias dos chips em questão contarão com gráficos integrados. Até o momento, apenas a linha Ryzen com terminação G oferece iGPUs para desktops.

Os documentos indicam que toda a família de chips compatíveis com o AM5 conta com iGPUs (Imagem: Reprodução/WCCFTech)
Os documentos indicam que toda a família de chips compatíveis com o AM5 conta com iGPUs (Imagem: Reprodução/WCCFTech)

A possibilidade é reiterada durante todo o texto da seção do documento, que se refere aos processadores como APUs (Accelerated Processor Unit), nome dado às plataformas que combinam CPU e GPU em um único pacote. Também há referências a existência de alguns modelos sem os gráficos integrados, mas aparentemente essas variantes serão apenas versões defeituosas ou incompletas, o que indica que a família Ryzen 6000 será padronizada em APUs.

Antigos vazamentos já indicavam a presença de gráficos integrados RDNA 2 na família Ryzen 6000 (Imagem: Reprodução/VideoCardz)
Antigos vazamentos já indicavam a presença de gráficos integrados RDNA 2 na família Ryzen 6000 (Imagem: Reprodução/VideoCardz)

A estratégia é novidade para a AMD, e segue os conceitos adotados pela Intel, cuja linha completa de CPUs para notebooks e desktops contam com iGPUs. É possível que essa mudança seja resultado de um melhor aproveitamento da área do die, bem como da chegada da microarquitetura RDNA 2, significativamente mais poderosa que a GCN utilizada atualmente.

Novos processadores não devem trazer PCI-E 5.0

A documentação também traz algumas más notícias: ao que parece, a plataforma AM5 não contará com suporte ao barramento PCI-E 5.0. A nova interface estreará ainda em 2021 com a chegada da 12ª geração Alder Lake da Intel e pode se mostrar uma ausência significativa nos novos Ryzen, cujo lançamento está previsto apenas para o final de 2022.

A documentação também indica não haver barramento PCI-E 5.0, mas sugere a presença de USB 4 e DisplayPort 2.0 (Imagem: Reprodução/NotebookCheck)
A documentação também indica não haver barramento PCI-E 5.0, mas sugere a presença de USB 4 e DisplayPort 2.0 (Imagem: Reprodução/NotebookCheck)

Ainda que o barramento PCI-E 4.0 não tenha sido amplamente adotado e siga oferecendo altíssimas velocidades, o fato da nova geração de processadores da AMD não contar com a próxima versão da interface é um tanto decepcionante. Além da estreia mais tardia, outro forte motivo para isso é o fato de que foram os Ryzen 3000 a inaugurar a era do PCI-E 4.0.

Fora isso, os chips EPYC Genoa contarão com o novo barramento, o que torna a escolha da AMD de omitir o acesso dos consumidores comuns à tecnologia ainda mais estranho. No mais, o soquete AM5 pode habilitar mais alguns recursos interessantes, como a conexão DisplayPort 2.0 e as portas USB-C 3.2 Gen 2 e USB 4, equivalentes ao Thunderbolt 3 da Intel.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos