Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.095,53
    +537,86 (+0,50%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.056,27
    +137,99 (+0,27%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,70
    +0,34 (+0,47%)
     
  • OURO

    1.784,80
    -0,70 (-0,04%)
     
  • BTC-USD

    50.413,66
    -22,89 (-0,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.319,89
    +14,77 (+1,13%)
     
  • S&P500

    4.701,21
    +14,46 (+0,31%)
     
  • DOW JONES

    35.754,75
    +35,32 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.337,05
    -2,85 (-0,04%)
     
  • HANG SENG

    24.214,90
    +218,03 (+0,91%)
     
  • NIKKEI

    28.838,65
    -21,97 (-0,08%)
     
  • NASDAQ

    16.386,00
    -6,25 (-0,04%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2777
    +0,0036 (+0,06%)
     

AMD pode estar preparando CPUs Ryzen e EPYC híbridas com núcleos Zen 5 e Zen 4D

·4 min de leitura

Desde a concepção e o sucesso do Apple M1, baseado na arquitetura ARM, que ofereceu um equilíbrio de desempenho e eficiência praticamente inéditos no mundo dos computadores, a indústria de semicondutores anda agitada. Gigantes como Qualcomm, Intel e AMD foram pressionadas a desenvolver soluções mais poderosas e eficientes que pudessem ao menos se aproximar do projeto que a Apple vem desenvolvendo no último ano.

A resposta da Intel chegou ao mercado na semana passada, com a estreia da 12ª geração Alder Lake. Assim como os concorrentes da gigante de Cupertino, os chips Alder Lake apostam em uma arquitetura híbrida, que mescla núcleos de alto desempenho com núcleos de baixo consumo. Reviews mais detalhados ainda não foram publicados, mas a princípio a aposta da família Core parece ter sido efetiva.

Com isso, por ser a principal rival da Intel no mercado de PCs, a AMD sofreu ainda mais pressão, mas respondeu confiante durante a celebração dos 5 anos da linha Ryzen que seguiria utilizando apenas núcleos de alta potência em suas soluções, focando mais em tecnologias como o aumento de cache através de empilhamento, com o 3D V-Cache.

No entanto, novos rumores do canal Moore's Law is Dead, cujo histórico de vazamentos costuma ser preciso, sugerem que a companhia está, na verdade, guardando algumas cartas na manga — ao que parece, as CPUs Ryzen e EPYC devem ceder à pressão e ter um futuro híbrido.

AMD pode apostar em chips Ryzen e EPYC com arquitetura híbrida

De acordo com o leaker, o primeiro passo para o futuro híbrido da AMD será o desenvolvimento dos núcleos Zen 4 Dense, ou Zen 4D, baseados nos núcleos Zen 4 que devem equipar os chips Ryzen 7000. Como o nome sugere, essas soluções pretendem focar na densidade, aumentando o número de núcleos por chiplet, o que resultaria numa leve perda de desempenho em single-core, mas um aumento significativo em multi-core, utilizando o mesmo espaço de chips Zen 4 tradicionais.

Para isso, adaptações terão de ser feitas: a AMD deve redesenhar por completo o sistema de cache, remover alguns recursos e reduzir os clocks, o que deve resultar em menor consumo e a possibilidade de aumentar a quantidade de núcleos por chiplet, atingindo assim maior densidade. Entre as mudanças apontadas estariam a redução pela metade do cache L3 e a remoção total ou parcial das instruções AVX-512, dedicadas a processamento avançado de Inteligência Artificial.

A AMD pode lançar sua própria arquitetura híbrida com uma mescla de núcleos Zen 5 e Zen 4D, atingindo 24 núcleos e 48 threads (Imagem: Moore's Law is Dead/YouTube)
A AMD pode lançar sua própria arquitetura híbrida com uma mescla de núcleos Zen 5 e Zen 4D, atingindo 24 núcleos e 48 threads (Imagem: Moore's Law is Dead/YouTube)

Os núcleos Zen 4D estreariam na família EPYC Bergamo, no segundo trimestre de 2023, como soluções complementares à família EPYC Turin, com núcleos Zen 5, também esperada para chegar no mesmo período. Moore's Law is Dead também acredita na possibilidade do lançamento de um "Ryzen 9 7965WX", com dois chiplets Zen 4D, totalizando 32 núcleos

A iniciativa híbrida da empresa tomaria então forma com os processadores Ryzen 8000, nas famílias Granite Ridge de CPUs e Strix Point de APUs. Ambas utilizariam núcleos Zen 4D como núcleos de baixo consumo, equivalentes aos núcleos "little" da arquitetura ARM e aos Gracemont da família Intel Alder Lake. Sua maior vantagem, no entanto, poderia ser a presença de Simultaneous Multi-Threading (SMT) no conjunto de baixo consumo.

As soluções ARM disponíveis para consumidores não utilizam o recurso, enquanto a linha Alder Lake traz Hyper-Threading apenas para os núcleos de alto desempenho. Diante disso, a arquitetura híbrida da AMD pode entregar melhor desempenho ao contar com SMT em todos os núcleos — de acordo com as informações, o modelo topo de linha traria 8 núcleos Zen 5 e 16 núcleos Zen 4D, totalizando assim 24 núcleos e 48 threads.

O canal também traz informações muito interessantes sobre a microarquitetura Zen 5, que pode ser "muito mais empolgante" que a Zen 4 e trazer um enorme salto de desempenho aos chips da empresa. O ganho seria similar ao visto na passagem da microarquitetura Zen para Zen 2, entregando aumento de nada menos que 20% a 40% de instruções por clock (IPC).

A suposta família Ryzen 8000 com arquitetura híbrida pode ser lançada no último trimestre de 2023, entre 11 e 14 meses após o lançamento dos Ryzen 7000 com microarquitetura Zen 4.

Chips Ryzen com mescla de núcleos já foram citados no passado

Como lembra o site VideoCardz, essa não é a primeira vez que os núcleos Zen 4D e uma arquitetura híbrida da AMD surge em rumores, o que dá mais credibilidade às informações de Moore's Law is Dead. Na rede social chinesa Weibo, o usuário Venomancer Marvin publicou em maio uma imagem que cita as famílias Granite Ridge e Strix Point, e cita especificamente o nome "Ryzen 8000".

A existência das linhas Granite Ridge e Strix Point com arquitetura híbrida já havia sido indicada em maio (Imagem: Venomancer Marvin/Weibo)
A existência das linhas Granite Ridge e Strix Point com arquitetura híbrida já havia sido indicada em maio (Imagem: Venomancer Marvin/Weibo)

Os pontos mais interessantes são a presença da sigla "N3", em referência ao processo de 3 nm da TSMC com o que os processadores devem ser fabricados, e a inscrição "Zen 5 + Zen 4D", reforçando a ideia de que veremos a arquitetura híbrida e os núcleos Zen 4D de baixo consumo.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos