Mercado fechado
  • BOVESPA

    107.829,73
    -891,85 (-0,82%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.335,51
    -713,54 (-1,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    77,46
    +0,32 (+0,41%)
     
  • OURO

    1.885,80
    +1,00 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    23.252,04
    +442,78 (+1,94%)
     
  • CMC Crypto 200

    536,47
    +10,51 (+2,00%)
     
  • S&P500

    4.164,00
    +52,92 (+1,29%)
     
  • DOW JONES

    34.156,69
    +265,67 (+0,78%)
     
  • FTSE

    7.864,71
    +28,00 (+0,36%)
     
  • HANG SENG

    21.298,70
    +76,54 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    27.560,67
    -124,80 (-0,45%)
     
  • NASDAQ

    12.742,75
    -34,00 (-0,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5782
    +0,0011 (+0,02%)
     

AMD Instinct MI300 terá 24 núcleos Zen 4 e 8x mais desempenho que MI250X

Além de apresentar os novos processadores Ryzen 7000X3D e as primeiras GPUs Radeon RX 7000 para notebooks, a AMD revelou as especificações iniciais da Instinct MI300, primeira APU do mundo para data centers. Extremamente robusta, a novidade chega ainda em 2023 combinando até 24 núcleos de CPU com arquitetura Zen 4, chiplets de GPU baseados na inédita microarquitetura CDNA 3 e 128 GB de memória HBM3, em um pacote que ultrapassa a impressionante barreira dos 140 bilhões de transistores.

A nova aceleradora da AMD embarcará tecnologias de ponta de empacotamento da TSMC. Além das litografias de 5 nm e 6 nm, utilizadas para fabricar os diferentes chiplets que compõem a novidade, a Instinct MI300 será o primeiro produto da gigante a utilizar empilhamento 3D de chiplets de processamento — já tivemos empilhamento 3D nas famílias Ryzen e EPYC, mas apenas de memória para cache.

A Instinct MI300 é a primeira APU do mundo para data centers, prevista para estrear ainda neste ano (Imagem: AMD)
A Instinct MI300 é a primeira APU do mundo para data centers, prevista para estrear ainda neste ano (Imagem: AMD)

Com o uso desse processo de fabricação, a solução poderá combinar chiplets de GPU com a nova microarquitetura CDNA 3 a chiplets de CPU com até 24 núcleos Zen 4, otimizados para cargas de trabalho de servidores. No formato de APU, a MI300 pode tirar benefício ainda da memória unificada, aos moldes do que a Apple fez com a linha Apple Silicon. Isso significa que CPU e GPU terão acesso às mesmas informações nos 128 GB de memória HBM3 de alta velocidade, com uma enorme interface de 8.196-bit e largura de banda de mais de 5 TB/s.

Tirando ainda proveito da nova geração de Infinity Cache, que acelera as taxas de transferência de dados da memória, novos formatos de dados e do barramento CXL 3.0, que permite a implementação de mais componentes de expansão através do PCIe, o lançamento proporcionaria até 5 vezes mais performance por Watt que sua antecessora, a MI250X, ao mesmo tempo em que proporcionaria um gigantesco salto de até 8 vezes em processamento de Inteligência Artificial em determinadas tarefas. Dados mais completos de performance e, especialmente, preços, não foram revelados, devendo ser apresentados apenas no lançamento.

A nova solução da AMD combina chiplets de GPU com a inédita microarquitetura CDNA 3, até 24 núcleos Zen 4 de CPU e 128 GB de memória HBM3, atingindo impressionantes 146 bilhões de transistores (Imagem: AMD)
A nova solução da AMD combina chiplets de GPU com a inédita microarquitetura CDNA 3, até 24 núcleos Zen 4 de CPU e 128 GB de memória HBM3, atingindo impressionantes 146 bilhões de transistores (Imagem: AMD)

Todos esses chiplets combinados atingiriam o recorde de 146 bilhões de transistores em um único pacote — em comparação, as rivais Intel Ponte Vecchio, que também utilizam chiplets, trazem "apenas" 100 bilhões de transistores, enquanto a Nvidia H100, mais poderosa GPU de data centers do time verde, é ainda mais modesta com 80 bilhões. Dito isso, é preciso ter em mente que as concorrentes são apenas GPUs, não trazendo os núcleos de CPU presentes na MI300.

A arquitetura é inovadora a ponto de poder proporcionar uma mudança de infraestrutura nos data centers, já que o uso da memória unificada e a flexibilidade dos chiplets empilhados possibilitariam o desenvolvimento de servidores muito mais compactos, contendo apenas uma ou duas unidades da nova Instinct sem ser necessário investir em módulos de RAM ou placas de vídeo para aceleração de IA.

A AMD Instinct MI300 traz tecnologias de ponta da TSMC, incluindo empilhamento 3D dos chiplets de CPU e GPU, e a integração aos módulos de memória HBM3 (os quadrados na extremidade do die acima) (Imagem: Marco Chiappetta/HotHardware)
A AMD Instinct MI300 traz tecnologias de ponta da TSMC, incluindo empilhamento 3D dos chiplets de CPU e GPU, e a integração aos módulos de memória HBM3 (os quadrados na extremidade do die acima) (Imagem: Marco Chiappetta/HotHardware)

Vale destacar ainda que a ideia de uma APU para data centers deve ser um dos futuros desse segmento — a Intel já anunciou uma proposta parecida com a família Falcon Shores, composta de princípios e recursos similares aos da nova solução da AMD. Apesar disso, o time vermelho tem a vantagem por pretender lançar a Instinct MI300 no segundo semestre de 2023, enquanto a Intel deve apresentar sua própria APU apenas em 2024.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: