Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.345,82
    +1.857,94 (+1,71%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.376,89
    -141,41 (-0,27%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,52
    +0,24 (+0,22%)
     
  • OURO

    1.852,00
    +9,90 (+0,54%)
     
  • BTC-USD

    29.322,36
    -650,32 (-2,17%)
     
  • CMC Crypto 200

    658,56
    -16,31 (-2,42%)
     
  • S&P500

    3.973,75
    +72,39 (+1,86%)
     
  • DOW JONES

    31.880,24
    +618,34 (+1,98%)
     
  • FTSE

    7.513,44
    +123,46 (+1,67%)
     
  • HANG SENG

    20.470,06
    -247,18 (-1,19%)
     
  • NIKKEI

    27.001,52
    +262,49 (+0,98%)
     
  • NASDAQ

    12.053,50
    +212,75 (+1,80%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1434
    -0,0094 (-0,18%)
     

AMD anuncia linha Ryzen PRO 6000 para workstations portáteis

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·10 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Depois de atender usuários comuns com a linha Ryzen 6000, a AMD agora volta as atenções aos profissionais com o anúncio da linha Ryzen PRO 6000, novos chips para notebooks que unem os benefícios dos modelos tradicionais, incluindo os núcleos Zen 3+ e as robustas iGPUs RDNA 2, com os recursos avançados de segurança, suporte e gerenciamento dedicados ao público corporativo e desenvolvedores.

Linha Ryzen PRO 6000 traz núcleos Zen 3+ e GPUs RDNA 2

Os novos processadores profissionais da AMD compartilham das configurações e benefícios vistos na linha Ryzen 6000 tradicional, com destaque para a adoção dos núcleos Zen 3+ e das GPUs integradas RDNA 2. Além de prometer ganhos de até 30% de desempenho, com destaque para o processamento gráfico, os lançamentos prometem eficiência até 40% maior.

Uma mudança interessante realizada desde o anúncio na CES 2022 foi a promessa de autonomia, agora ampliada: em vez de até 24 horas, notebooks munidos dos chips Ryzen PRO 6000 (e por extensão Ryzen 6000) podem atingir até 29 horas de reprodução de vídeo, segundo a AMD. A companhia explica que novas otimizações foram implementadas conforme o desenvolvimento dos dispositivos junto às fabricantes parceiras era realizado.

Assim como as versões para usuários comuns, a linha AMD Ryzen PRO 6000 traz os novos núcleos Zen 3+ e GPUs integradas baseadas na microarquitetura RDNA 2 (Imagem: AMD)
Assim como as versões para usuários comuns, a linha AMD Ryzen PRO 6000 traz os novos núcleos Zen 3+ e GPUs integradas baseadas na microarquitetura RDNA 2 (Imagem: AMD)

Considerando que mudanças na microarquitetura não foram implementadas, esse é justamente o foco e o motivo pelo qual o símbolo "+" foi adicionado. Mais de 50 melhorias foram adotadas para garantir que as CPUs atingissem a meta de redução drástica de consumo, com destaque para a litografia de 6 nm, a capacidade do sistema observar o trabalho das threads, em vez de apenas os núcleos físicos, e a possibilidade de atualizar apenas trechos da tela.

Além disso, a AMD aproveitou para atualizar as conexões e o leque de recursos oferecidos, substituindo as memórias DDR4 e LPDDR4 pelas novas DDR5 e LPDDR5, trazendo suporte ao barramento PCIe 4.0 e modems compatíveis com redes Wi-Fi 6E e Bluetooth 5. Há ainda portas HDMI 2.1 com suporte a monitores externos 4K a 120 Hz, suporte ao protocolo DisplayPort 2.0 e hardware dedicado para decodificação de mídia no codec AV1.

Análises mais aprofundadas da AMD com fabricantes parceiras mostraram que os núcleos Zen 3+ podem fornecer até 29 horas de reprodução de vídeo, em vez de apenas 24 (Imagem: AMD)
Análises mais aprofundadas da AMD com fabricantes parceiras mostraram que os núcleos Zen 3+ podem fornecer até 29 horas de reprodução de vídeo, em vez de apenas 24 (Imagem: AMD)

Um destaque entre os novos recursos é a adoção de portas USB 4, com taxas de transferência de até 40 Gbps, o que as torna viáveis para transmissão de vídeo com ampla largura de banda, bem como compatíveis com SSDs PCIe 4.0 de alta velocidade e acessórios Thunderbolt. Dito isso, a empresa explica que não há certificação Thunderbolt por padrão — as fabricantes dos notebooks devem ser as responsáveis por aplicar seus designs para obter o certificado.

Alta eficiência "sem concessões"

Mesmo com as melhorias em eficiência, a AMD garante que os novos Ryzen PRO 6000 entregam desempenho superior em produtividade e cargas de trabalho mais pesadas. A empresa deu destaque a alguns testes realizados em benchmarks que estressam a CPU, bem como a testes que representam o uso intenso de aplicativos de produtividade junto a videoconferências, em que os chips superam por boa margem os concorrentes da 12ª geração Alder Lake da Intel.

De acordo com os comparativos, feitos contra um Lenovo ThinkPad X1 Carbon com Core i7 1260P e 16 GB de RAM LPDDR5-5500, os lançamentos são até 17% mais rápidos em tarefas relacionadas ao pacote Office executadas simultaneamente a uma chamada de vídeo, e até 15% superiores em tarefas de produtividade variadas, ao mesmo tempo em que ofereceriam até 45% mais autonomia durante ligações de vídeo.

Os novos Ryzen PPRO 6000 prometem oferecer até 45% mais autonomia durante videochamadas frente aos rivais Intel Alder Lake-P (Imagem: AMD)
Os novos Ryzen PPRO 6000 prometem oferecer até 45% mais autonomia durante videochamadas frente aos rivais Intel Alder Lake-P (Imagem: AMD)

Vale destacar, no entanto, que os números foram obtidos a partir de um ThinkPad Z13 equipado com o processador Ryzen 7 PRO 6860Z, modelo customizado para a Lenovo dedicado a oferecer eficiência energética ainda maior, junto a 16 GB de RAM LPDDR5-6400. Isso significa que os resultados podem variar entre os chips e até entre notebooks de variadas marcas, com implementações diferentes.

As novas GPU integradas Radeon 600M, baseadas na microarquitetura RDNA 2, são outro aspecto a receber atenção — os gráficos integrados seriam até 2,1 vezes mais potentes para tarefas que demandam maior processamento gráfico, possibilitando o desenvolvimento de workstations ainda mais portáteis, como o Lenovo P16s com Ryzen 7 PRO 6850U, para engenheiros, artistas 3D e outros profissionais que dependam do poder da GPU.

Performance também seria um destaque dos lançamentos, que poderiam apresentar enorme vantagem em tarefas que dependam de múltiplos núcleos de alto desempenho (Imagem: AMD)
Performance também seria um destaque dos lançamentos, que poderiam apresentar enorme vantagem em tarefas que dependam de múltiplos núcleos de alto desempenho (Imagem: AMD)

Um trabalho conjunto está sendo realizado com 19 das maiores distribuidoras de softwares profissionais para que drivers otimizados sejam certificados e disponibilizados aos usuários, garantindo máxima estabilidade e melhor desempenho nessas aplicações.

Recursos PRO de proteção e gerenciamento

Em relação às soluções de suporte empresarial, a AMD fez questão de destacar como o pacote AMD PRO é tão robusto quanto o Intel vPro, tendo trabalhado com as fabricantes parceiras e a Microsoft para suportar todos os recursos de segurança proprietários das marcas e do Windows 11, junto às próprias soluções da linha Ryzen.

A suíte reúne múltiplas camadas de segurança que cobrem desde o chip até funções na nuvem, gerenciamento inteligente para múltiplas máquinas em ambientes corporativos, bem como suporte prolongado com contato direto com a AMD para garantir a estabilidade dos sistemas por até 2 anos após a aquisição, e traz neste ano três novidades: a tecnologia AMD Shadow Stack, a adoção do chip Microsoft Pluton e um novo método de gerenciamento sem fio.

Principal diferencial dos novos chips, a suíte AMD PRO garante a segurança, o fácil gerenciamento e o suporte prolongados da linha Ryzen PRO 6000 (Imagem: AMD)
Principal diferencial dos novos chips, a suíte AMD PRO garante a segurança, o fácil gerenciamento e o suporte prolongados da linha Ryzen PRO 6000 (Imagem: AMD)

Adotado primeiro na família Threadripper PRO 5000WX para desktops, o Shadow Stack é um recurso de proteção que detecta e elimina ameaças que tiram proveito de brechas no gerenciamento de memória durante a execução de códigos mais complexos, nos chamados ataques Control-flow.

Já o Pluton, desenvolvido em conjunto com a Microsoft, Intel e Qualcomm, e presente nos recentes consoles da famíllia Xbox, é responsabilizado por cargas de trabalho criptografadas de maiores intensidade e requerimentos de segurança, prometendo oferecer proteção mais robusta.

Uma das principais novidades da suíte AMD PRO é a possibilidade de gerenciar múltiplas máquinas via conexão sem fio, graças a um novo chip integrado às CPUs (Imagem: AMD)
Uma das principais novidades da suíte AMD PRO é a possibilidade de gerenciar múltiplas máquinas via conexão sem fio, graças a um novo chip integrado às CPUs (Imagem: AMD)

Por fim, os novos recursos de gerenciamento tiram proveito da adição de um processador dedicado integrado às CPUs, que aprimora o controle das máquinas e possibilita o uso de mais de 32 perfis baseados em padrões de código aberto para gerenciamento sem fio.

Com as novidades, a linha Ryzen PRO 6000 promete oferecer maior flexibilidade e escolha, implantação inteligente dos dispositivos sem obstáculos com suporte a ferramentas na nuvem, como o Windows Autopilot, e gerenciamento em escala mais robusto para diferentes ambientes corporativos.

Linha Ryzen PRO 5000 ganha novos modelos

Visando oferecer mais opções para atender a alta demanda, a AMD revelou ainda três novos modelos da família Ryzen PRO 5000, com aprimoramentos frente aos modelos lançados anteriormente. Limitadas a um TDP de 15 W, configurável entre 10 W e 25 W, essas variantes serão totalmente focadas em notebooks ultrafinos e dispositivos voltados para o mercado empresarial.

A série é composta por três chips, também espelhados em modelos atualizados para usuários comuns lançados juntos à família Ryzen 6000: o topo de linha Ryzen 7 PRO 5875U, com 8 núcleos e 16 threads rodando a até 4,5 GHz; o intermediário Ryzen 5 PRO 5675U, com 6 núcleos e 12 threads rodando a até 4,3 GHz; e o chip de entrada Ryzen 3 PRO 5475U, com 4 núcleos e 8 threads rodando a até 4,1 GHz.

Os novos Ryzen PRO 5000 refletem as versões revisadas dos Ryzen 5000 lançadas neste ano, contando com clocks mais altos (Imagem: AMD)
Os novos Ryzen PRO 5000 refletem as versões revisadas dos Ryzen 5000 lançadas neste ano, contando com clocks mais altos (Imagem: AMD)

Como os nomes sugerem, os novos Ryzen PRO 5000 não trazem as novidades vistas na série Ryzen PRO 6000 — fabricados em 7 nm, os núcleos ainda são baseados na microarquitetura Zen 3, enquanto os gráficos integrados contam com a arquitetura Vega, mais antiga. Dito isso, a AMD garante que as novidades entregam mais performance e melhor eficiência energética que os rivais Intel Tiger Lake-U de 11ª geração.

A empresa comparou o Core i7 1185G7, um dos modelos mais avançados da família Tiger Lake-U, rodando a 28 W com o novo Ryzen 7 PRO 5875U trabalhando a 15 W. Nos resultados divulgados, o chip da AMD seria de 14% a 95% superior, graças à contagem de núcleos — 4 para o rival da Intel, 8 para o novo Ryzen. Cargas de trabalho que tiram melhor proveito de um número maior de threads serão as mais beneficiadas.

Mesmo sem trazer mudanças drásticas, os novos Ryzen PRO 5000 prometem apresentar vantagens em ultrabooks corporativos, ao menos em comparação aos chips Intel Tiger Lake mais antigos (Imagem: AMD)
Mesmo sem trazer mudanças drásticas, os novos Ryzen PRO 5000 prometem apresentar vantagens em ultrabooks corporativos, ao menos em comparação aos chips Intel Tiger Lake mais antigos (Imagem: AMD)

Além disso, a gigante fez questão de destacar como segue sendo a única a oferecer 8 núcleos de alto desempenho no segmento de CPUs de 15 W — mesmo que a contagem total de núcleos tenha aumentado com a 12ª geração Alder Lake-U da Intel, a maioria desses núcleos são E-Cores de baixo consumo, focados na eficiência, enquanto os P-Cores de alta performance são limitados a 4 ou 2 unidades, a depender do TDP.

Ainda é cedo para confirmar as promessas do time vermelho, sendo necessário aguardar por testes mais aprofundados para que conclusões possam ser tiradas, mas de fato é possível que tarefas que exijam mais da CPU tenham melhor performance com a configuração da AMD.

Notebooks estreiam já no segundo trimestre

Segundo a AMD, os primeiros notebooks equipados com os novos chips Ryzen PRO 6000 e Ryzen PRO 5000 devem começar a chegar ao mercado ainda no segundo trimestre de 2022, até junho. A maioria dos modelos, no entanto, deve estrear apenas no terceiro trimestre, entre julho e setembro.

Inúmeros modelos de HP, Lenovo e outras marcas estreiam entre o final do segundo e o início do terceiro trimestres de 2022 com os novos Ryzen PRO 6000 (Imagem: AMD)
Inúmeros modelos de HP, Lenovo e outras marcas estreiam entre o final do segundo e o início do terceiro trimestres de 2022 com os novos Ryzen PRO 6000 (Imagem: AMD)

HP e Lenovo são as principais parceiras da companhia, lançando inúmeros modelos munidos dos componentes. Entre as novidades confirmadas estão a nona geração dos HP EliteBook e ProBook, bem como novos Lenovo ThinkPad das séries T e L, ThinkBook 14 e 15, ThinkPad E e a série Lenovo V.

Apesar do foco nessas marcas, a gigante confirmou que diversas outras fabricantes estão trabalhando em modelos com os novos Ryzen, incluindo Acer, ASUS e Dell. Vale lembrar que a linha Ryzen PRO 6000 já teve lançamento confirmado no Brasil, previsto para a segunda metade de 2022.

AMD Ryzen PRO 6000H: ficha técnica

Processador

Núcleos/Threads

Frequência (Base/Boost)

Arquitetura

Litografia

Consumo (TDP)

Ryzen 9 PRO 6950H

8/16

3,3 GHz/4,9 GHz

Zen 3+

6 nm

45 W

Ryzen 9 PRO 6950HS

8/16

3,3 GHz/4,9 GHz

Zen 3+

6 nm

35 W

Ryzen 7 PRO 6850H

8/16

3,2 GHz/4,7 GHz

Zen 3+

6 nm

45 W

Ryzen 7 PRO 6850HS

8/16

3,2 GHz/4,7 GHz

Zen 3+

6 nm

35 W

Ryzen 5 PRO 6650H

6/12

3,3 GHz/4,5 GHz

Zen 3+

6 nm

45 W

Ryzen 5 PRO 6650HS

6/12

3,3 GHz/4,5 GHz

Zen 3+

6 nm

35 W

AMD Ryzen PRO 6000U: ficha técnica

Processador

Núcleos/Threads

Frequência (Base/Boost)

Arquitetura

Litografia

Consumo (TDP)

Ryzen 7 PRO 6850U

8/16

2,7 GHz/4,7 GHz

Zen 3+

6 nm

28 W (15 W — 30 W)

Ryzen 5 PRO 6650U

6/12

2,9 GHz/4,5 GHz

Zen 3+

6 nm

28 W (15 W — 30 W)

AMD Ryzen PRO 5000U: ficha técnica

Processador

Núcleos/Threads

Frequência (Base/Boost)

Arquitetura

Litografia

Consumo (TDP)

Ryzen 7 PRO 5875U

8/16

2,0 GHz/4,5 GHz

Zen 3

7 nm

15 W (10 W — 25 W)

Ryzen 5 PRO 5675U

6/12

2,3 GHz/4,3 GHz

Zen 3

7 nm

15 W (10 W — 25 W)

Ryzen 3 PRO 5475U

4/8

2,7 GHz/4,1 GHz

Zen 3

7 nm

15 W (10 W — 25 W)

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos