Mercado fechado

Ambev vai investir R$870 mi em fábrica de vidros no Paraná

·1 min de leitura

SÃO PAULO (Reuters) - A Ambev anunciou nesta quinta-feira que vai construir uma fábrica de embalagens de vidro no Paraná que deve começar a operar em 2025 e que receberá investimentos de 870 milhões de reais, dentro de estratégia da companhia de ter todos os seus produtos em embalagens retornáveis ou feitas principalmente de conteúdo reciclado até lá.

A fábrica, a segunda de embalagens de vidro da empresa no país, vai produzir garrafas a partir da reciclagem de cacos, recolhidos em parcerias com empresas de logística reversa e cooperativas, afirmou a Ambev em comunicado.

O anúncio ocorre em um momento de oferta restrita de garrafas de vidro no país. Segundo a associação dos fabricantes de vidros, Abividro, o aumento do mercado, e a mudança do perfil do consumidor criaram o cenário de uma "demanda super aquecida frente a uma oferta inelástica".

A entidade afirmou sem citar números que são "as compras não programadas que estão sofrendo com a escassez" uma vez que "todas as empresas que tinham contrato de fornecimento tiveram seus contratos plenamente atendido".

A expectativa da entidade é que até o fim de 2023, com novas fábricas sendo instaladas no país, a situação seja normalizada.

A fábrica anunciada pela Ambev nesta quinta-feira terá capacidade para produzir garrafas long neck, 300ml, 600ml e 1 litro para diversos rótulos, como Stella Artois, Beck's e Spaten, e abastecerá as cervejarias da companhia em vários Estados, incluindo o Paraná.

A companhia afirmou que a nova fábrica vai operar com energia 100% renovável e que vai ser preparada para funcionar também com biocombustíveis.

A primeira fábrica de vidros da Ambev foi inaugurada em 2008 no Rio de Janeiro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos