Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.363,10
    -56,43 (-0,05%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.714,60
    -491,99 (-0,94%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,40
    -1,26 (-1,52%)
     
  • OURO

    1.797,40
    -1,40 (-0,08%)
     
  • BTC-USD

    58.720,66
    -2.027,52 (-3,34%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.405,46
    -68,87 (-4,67%)
     
  • S&P500

    4.551,68
    -23,11 (-0,51%)
     
  • DOW JONES

    35.490,69
    -266,19 (-0,74%)
     
  • FTSE

    7.253,27
    -24,35 (-0,33%)
     
  • HANG SENG

    25.648,42
    +19,68 (+0,08%)
     
  • NIKKEI

    28.764,67
    -333,57 (-1,15%)
     
  • NASDAQ

    15.614,25
    +27,00 (+0,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4197
    -0,0050 (-0,08%)
     

Ambev vai aumentar preço da cerveja em outubro

·1 minuto de leitura
***ARQUIVO***JAGUARIÚNA, SP, 03.04.2020 - Linha de produção da fábrica da Ambev, em Jaguariúna, interior paulista. (Foto: Eduardo Anizelli/ Folhapress)
***ARQUIVO***JAGUARIÚNA, SP, 03.04.2020 - Linha de produção da fábrica da Ambev, em Jaguariúna, interior paulista. (Foto: Eduardo Anizelli/ Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - A cervejaria Ambev, dona de marcas como Skol, Brahma, Antarctica, Bohemia e Stella Artois, vai aumentar o preço das cervejas a partir deste sábado (2).

Segundo apurou a reportagem com donos de restaurantes em São Paulo, a partir de outubro, haverá aumento de 5% a 6% em cervejas e chope.

A Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes) confirma o aumento de preços e afirma que o reajuste deve vir alinhado com a inflação acumulada nos último 12 meses, em torno de 10%.

Procurada, a Ambev não respondeu até a publicação desta reportagem.

No comunicado enviado a clientes e distribuidores, ao qual a reportagem teve acesso, a cervejaria -que concentra 60% de participação de mercado no país- afirma que o reajuste vai seguir, "em linhas gerais, a variação da inflação, variação de custos, câmbio e carga tributária".

De acordo com o comunicado, "os reajustes podem variar entre regiões, marcas, embalagens e segmentos".

"Reforçamos o nosso compromisso com a competitividade das nossas marcas no mercado, visando sempre a boa performance do volume de vendas da indústria", diz a Ambev no comunicado.

O mercado de cerveja está estagnado: segundo a consultoria Euromonitor, este ano a venda de cervejas no Brasil deve atingir R$ 197,97 bilhões, uma alta nominal de 7,3% sobre 2020, sem descontar a inflação.

Na opinião de Marcelo Balloti Monteiro, analista do setor de bebidas da Lafis Consultoria, a pressão de custos está bastante elevada, em especial, de matéria-prima e energia.

"Mas, em um primeiro momento, o impacto do aumento de preços deve ser menor na demanda, porque ocorre em um momento de retomada de diversos eventos e com a aproximação das festas de fim de ano", afirma.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos