Mercado abrirá em 5 h 50 min

Amazon quer levar Trump aos tribunais em briga sobre contrato com a Microsoft

Rafael Rodrigues da Silva

Nesta segunda-feira (10), a notícia de uma ação movida pela Amazon contra o Departamento de Defesa dos Estados Unidos revelou uma informação curiosa: a de que a empresa quer intimar, nos tribunais, o próprio presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

A ação corre no Departamento de Justiça dos Estados Unidos desde novembro do ano passado, mas o texto só foi revelado hoje. Ela diz respeito ao contrato conhecido como Joint Enterprise Defense Infrastructure (JEDI), um grande projeto de computação em nuvem junto com o Departamento de Defesa dos EUA, envolvendo um valor de US$ 10 bilhões.

Até agosto de 2019, este contrato estava praticamente acertado para ficar com a Amazon Web Services, mas o presidente Donald Trump pediu que o processo fosse pausado para que o Secretário de Defesa do país, Mark Esper, investigasse alegações sobre um suposto favoritismo à empresa de Jeff Bezos . Dois meses depois, foi anunciado oficialmente que o contrato ficaria com a Microsoft e sua nuvem Azure.

Na época, Bezos acusou Trump de usar sua posição como presidente do país para "melar" a negociação por motivos pessoais, já que ele teria uma suposta antipatia pelo dono da Amazon - tudo porque ele também é dono do Washington Post, um dos jornais mais críticos às políticas da atual presidência.

Assim, a ação movida pela Amazon pede que Trump, o secretário de Defesa Mark Esper e o ex-secretário James Mattis, vão aos tribunais para depor sobre essa negociação de contrato e sobre o que ocorreu para que a Amazon, que já havia sido escolhida, fosse substituída pela Microsoft de última hora após ordem do presidente.

De acordo com a Amazon, a explicação dada pelo Pentágono sobre por que estavam mudando a empresa escolhida deixou de fora detalhes importantes que explicariam por que a Microsoft seria uma opção melhor do que a Amazon. A empresa ainda levanta que essa não seria a primeira vez em que o presidente Trump utiliza seus poderes para interferir no funcionamento de setores do governo por motivos pessoais, e que, desde a ação movida pela Amazon, o presidente vem lançando uma série de ataques públicos contra a empresa.

Por enquanto, o principal pedido da Amazon é que o contrato JEDI seja suspenso enquanto o processo contra o Departamento de Defesa ainda estiver correndo, mas a corte ainda não decidiu se irá acatar ou não tal pedido. Caso a Amazon consiga levar Trump para depor, isso será algo sem precedentes na história do país, pois não apenas nenhum outro caso envolvendo empresas privadas chegou a chamar a autoridade máxima do Poder Executivo para depor dessa maneira, como também, desde que assumiu a presidência, Trump tem usado de seus poderes para ignorar intimações de depoimentos em diversas investigações envolvendo sua figura - como, por exemplo, na investigação de fraudes durante sua campanha presidencial, que, até o momento, já condenou à prisão 14 pessoas envolvidas, incluindo assessores, patrocinadores e assistentes.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: