Mercado fechará em 2 h 11 min
  • BOVESPA

    111.321,92
    +649,16 (+0,59%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.423,92
    +21,22 (+0,04%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,63
    +0,67 (+0,81%)
     
  • OURO

    1.786,60
    +16,10 (+0,91%)
     
  • BTC-USD

    66.474,82
    +3.652,48 (+5,81%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.546,75
    +65,95 (+4,45%)
     
  • S&P500

    4.538,78
    +19,15 (+0,42%)
     
  • DOW JONES

    35.658,39
    +201,08 (+0,57%)
     
  • FTSE

    7.223,10
    +5,57 (+0,08%)
     
  • HANG SENG

    26.136,02
    +348,81 (+1,35%)
     
  • NIKKEI

    29.255,55
    +40,03 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    15.393,50
    -5,00 (-0,03%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4627
    -0,0335 (-0,52%)
     

Amazon pretende criar loja de departamento ‘high-tech’

·2 minuto de leitura
Como os mercados sem caixa da Amazon, o Wall Street Journal parece sugerir que as lojas de departamentos da marca se concentrarão na conveniência do cliente, usando várias soluções de tecnologia possíveis.(REUTERS/Lindsey Wasson)
  • Amazon pretende vender roupas em loja física nos próximos anos

  • Ideia é repetir o modelo dos mercados da companhia, o ‘Amazon Go’

  • Gigante da tecnologia ultrapassou o Walmart como varejista número 1 dos EUA

O modelo de vendas da Amazon está muito perto de ganhar uma loja de departamento física, de acordo com reportagem do The Wall Street Journal. A gigante americana está considerando a possibilidade de abrir lojas para venda de roupas na Califórnia e em Ohio, uma expansão natural do impulso da empresa para o varejo físico.

Leia também:

Como os mercados sem caixa da Amazon, o Wall Street Journal parece sugerir que as lojas de departamentos da marca se concentrarão na conveniência do cliente, usando várias soluções de tecnologia possíveis. Em uma ideia, os clientes “escaneiam códigos QR de itens que desejam experimentar usando um aplicativo de smartphone” antes que os vendedores reúnam e coloquem esses itens em um provador.

Uma vez no provador, “os clientes podem pedir mais itens usando uma tela de toque, que pode ser capaz de recomendar roupas adicionais com base nas peças que os compradores gostaram”, diz o artigo. A Amazon também considerou a introdução de robôs ou automação para agilizar a experiência de compra. Exatamente como não está claro.

Roupas da Amazon serão as primeiras peças da futura loja

O Wall Street Journal escreve que as lojas da Amazon venderão roupas da marca da gigante de tecnologia no primeiro lugar e apresentarão ofertas de varejistas que vendem no mercado online. A empresa fez um esforço significativo no setor de vestuário em 2016 e tem recebido um escrutínio cada vez maior após alegações de que copia os concorrentes com suas marcas próprias.

De acordo com a CNBC, a Amazon já ultrapassou o Walmart como o varejista número um de roupas nos Estados Unidos, e isso antes de qualquer efeito que as lojas de departamentos físicas possam ter no reconhecimento da empresa e de suas marcas. Vender suas roupas em uma loja de departamentos pode dar aos produtos da Amazon uma identidade além de seu preço normalmente acessível.

Caso esses sejam os planos da empresa, as lojas de departamentos da Amazon poderiam oferecer uma experiência muito diferente do que uma tradicional para compradores e funcionários.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos