Mercado fechará em 2 h 38 min
  • BOVESPA

    108.250,20
    +313,09 (+0,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.379,16
    -511,43 (-1,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,56
    +1,25 (+1,50%)
     
  • OURO

    1.846,40
    +4,70 (+0,26%)
     
  • BTC-USD

    36.789,21
    +2.492,93 (+7,27%)
     
  • CMC Crypto 200

    836,42
    +15,84 (+1,93%)
     
  • S&P500

    4.334,82
    -75,31 (-1,71%)
     
  • DOW JONES

    34.024,32
    -340,18 (-0,99%)
     
  • FTSE

    7.367,15
    +70,00 (+0,96%)
     
  • HANG SENG

    24.243,61
    -412,85 (-1,67%)
     
  • NIKKEI

    27.131,34
    -457,03 (-1,66%)
     
  • NASDAQ

    14.079,75
    -421,25 (-2,90%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1851
    -0,0436 (-0,70%)
     

Amazon: motorista foi ameaçada de demissão ao questionar trabalho em meio a tornados

·2 min de leitura
Foto: Getty Images.
Foto: Getty Images.
  • Motorista da Amazon foi ameaçada de demissão durante trabalho em meio aos tornados que destruíram um armazém da empresa nos EUA;

  • Em troca de mensagens, o supervisor da funcionária disse que ela deveria continuar com entregas mesmo com alerta de tornado;

  • Um porta-voz da empresa disse que está investigando todos os detalhes do incidente.

Uma motorista da Amazon alega que seu supervisor a avisou de que perderia o emprego caso não continuasse a entregar pacotes, mesmo em meio aos avisos de tornados na área em que trabalhava, no último dia 10 de dezembro, nos EUA.

A funcionária diz que sua base de trabalho estava localizada em Edwardsville, no Estado de Illinois, a mesma região onde seis funcionários da Amazon morreram após um tornado atingir o armazém da companhia na semana passada.

Leia também:

Uma hora e vinte minutos antes do tornado destruir o local, a funcionária havia enviado uma mensagem para o supervisor dizendo que os rádios estavam sendo desligados.

Como resposta, o chefe pediu para que a ela “apenas continuasse a dirigir”, e que “não poderiam simplesmente chamar as pessoas de volta para um aviso, a não ser que a Amazon assim o dissesse.”

Após mais trinta minutos, a motorista enviou outra mensagem ao supervisor afirmando ouvir alarmes de tornado. Como resposta, o encarregado apenas disse que a funcionária deveria continuar as entregas.

Logo após, outra mensagem chegou à funcionária, dessa vez por conselho da Amazon, de que deveria achar abrigo, ficar lá por volta de 15 a 20 minutos, e depois continuar com o trabalho.

A funcionária respondeu que voltaria para a base em Edwardsville para a própria segurança, dizendo que não havia local seguro para abrigá-la ali, e que em 30 minutos a tempestade chegaria.

O supervisor afirmou então que a escolha de recusar a rota era dela e de que acabaria por não ter mais o emprego no dia seguinte.

Após mais trocas de mensagens, o superior finalmente disse à motorista que o armazém havia sido atingido e que a mesma deveria se abrigar em algum local.

Um porta-voz da empresa disse em comunicado que o supervisor não seguiu os protocolos de segurança padrão e que está investigando todos os detalhes do incidente.

As informações são da Business Insider.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos