Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.094,22 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,95 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,25
    +0,18 (+0,25%)
     
  • OURO

    1.802,10
    +0,30 (+0,02%)
     
  • BTC-USD

    34.494,01
    +430,59 (+1,26%)
     
  • CMC Crypto 200

    786,33
    -7,40 (-0,93%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,15 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,82 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    +159,80 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.095,25
    -2,75 (-0,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1219
    +0,0017 (+0,03%)
     

Amazon lança competição global de bug bounty para melhorar seus códigos

·2 minuto de leitura

A Amazon anunciou nesta sexta-feira (25) o AWS BugBust, uma competição global de bug bounty que vai dar prêmios, viagens e convites a eventos para os maiores e mais ativos especialistas da plataforma. A ideia do torneio é melhorar a qualidade e a performance dos códigos, além de reduzir falhas, enquanto desenvolvedores trabalham juntos em desafios para fomentar a indústria de softwares focados em cloud computing.

Chamado pela companhia como o maior torneio desse tipo no mundo, o AWS BugBust garante pontos toda vez que um especialista resolve uma falha, de acordo com a complexidade do bug encontrado. O saldo vai para um ranking global, por meio do qual os programadores recebem prêmios e certificados da Amazon após atingirem certos patamares, enquanto os 10 maiores receberão convites para participarem de uma conferência anual da Amazon focada nos profissionais da indústria.

A competição vai até o dia 30 de setembro, data em que o top 10 será fechado, e utiliza ferramentas da própria gigante, com a inteligência artificial, por exemplo, sendo aplicada na busca por bugs e falhas de segurança nas aplicações. É o que a Amazon chamada de CodeGuru, um conjunto de aplicações focadas em análise e homologação, que será peça principal do AWS BugBust.

De acordo com Swami Sivasubramanian, vice-presidente de machine learning da suíte de nuvem a Amazon Web Services, essa é uma nova abordagem aos programas de caça aos bugs, bastante comuns entre as grandes empresas e disponível, inclusive, na própria Amazon. Mais do que recompensar os especialistas, a ideia é reduzir os custos envolvidos no desenvolvimento, com a empresa calculando que os trabalhos de análise automatizada deverão gerar economia de US$ 100 milhões apenas neste ano.

Segundo ele, essa agilidade maior se deve ao fato de, em vez de caçarem os bugs manualmente e de acordo com o próprio conhecimento, o CodeGuru é capaz de entregar uma lista pré-pronta aos especialistas. Assim, eles podem gastar o próprio tempo e conhecimento na solução dos problemas, considerada pela Amazon como a parte mais importante de todo esse trabalho.

A empresa também vê a competição como uma forma interessante de divulgar a ferramenta, que está disponível para todos os usuários dos servidores US East da AWS. A utilização do CodeGuru é gratuita por 30 dias, um período de testes por meio do qual todos os desenvolvedores e administradores de sistemas podem testar a tecnologia antes de aderirem a seus planos de assinatura.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos