Mercado abrirá em 1 h 44 min

Amazon, Berkshire e JPMorgan Chase abandonam projeto conjunto de cobertura de saúde

·1 minuto de leitura
(ARQUIVO)Combinação de fotos criadas em 30 de janeiro de 2018 mostra fotos de arquivo (da esquerda para a direita) do presidente e CEO da Berkshire Hathaway Warren Buffett em Washington, DC, em 14 de junho, 2016, do CEO da Amazon, Jeff Bezos, em Washington, DC, em 14 de dezembro de 2017 e do presidente e CEO do JP Morgan Chase, Jamie Dimon, em Paris em 11 de julho de 2017.

O banco JPMorgan Chase, o conglomerado Berkshire Hathaway e a gigante do e-commerce Amazon anunciaram nesta segunda-feira (4) que desistiram do projeto conjunto de um sistema alternativo de saúde para seus funcionários.

A organização Haven, que implementaria este novo sistema, anunciou em seu site que vai finalizar as operações "no final de fevereiro".

O projeto, lançado no início de 2019, reuniu três das grandes personalidades do meio empresarial americano: Jamie Dimon (JPMorgan), Warren Buffett (Berkshire) e Jeff Bezos (Amazon).

A Haven garantiu que "explorou um amplo leque de soluções" por três anos e "testou novas maneiras de facilitar o acesso aos cuidados básicos, o entendimento e uso dos benefícios, além de tornar os medicamentos mais acessíveis".

Os três grupos “vão tirar proveito deste conhecimento e continuar a colaborar informalmente para conceber programas à medida que respondam às necessidades específicas dos seus próprios colaboradores”, afirmou a entidade, sem dar detalhes sobre os motivos da sua dissolução.

O lançamento desta organização independente e sem fins lucrativos pelos três magnatas surpreendeu a opinião pública.

Os executivos decidiram unir forças para criar um sistema de proteção social em reação ao desmantelamento da reforma do sistema de saúde Obamacare e ao aumento acentuado dos custos do seguro saúde.

Embora inicialmente eles planejassem atender seus funcionários com o projeto, também consideravam expandi-lo para todos os americanos.

jum/lo/esp/ll/gma/jc/mvv