Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.909,03
    -129,08 (-0,11%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.867,15
    +618,13 (+1,26%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,96
    +0,04 (+0,06%)
     
  • OURO

    1.836,70
    -0,90 (-0,05%)
     
  • BTC-USD

    55.627,86
    -2.511,12 (-4,32%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.463,51
    -97,78 (-6,26%)
     
  • S&P500

    4.188,43
    -44,17 (-1,04%)
     
  • DOW JONES

    34.742,82
    -34,94 (-0,10%)
     
  • FTSE

    7.123,68
    -6,03 (-0,08%)
     
  • HANG SENG

    28.595,66
    -14,99 (-0,05%)
     
  • NIKKEI

    29.518,34
    0,00 (0,00%)
     
  • NASDAQ

    13.336,00
    -20,75 (-0,16%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3610
    +0,0208 (+0,33%)
     

Amazon aumentará salário de 500 mil trabalhadores após fracasso de montar sindicato

·2 minuto de leitura
Amazon fez o anúncio do aumento salarial um dia antes da data programada para publicar seus lucros do primeiro trimestre
  • Os aumentos acontecerão antes de uma audiência federal

  • A Amazon aumentará entre 50 centavos e três dólares o pagamento pela hora de trabalho

  • A Amazon fez o anúncio um dia antes de publicar seus lucros do primeiro trimestre

A Amazon aumentará entre 50 centavos e três dólares o pagamento pela hora de trabalho de mais de meio milhão de empregados de suas equipes de atendimento, entrega e classificação, anunciou a gigante da tecnologia americana.

 Os aumentos, que entrarão em vigor entre maio e junho, acontecerão antes de uma audiência federal sobre uma campanha de sindicalização frustrada e depois que o presidente Joe Biden criticou a Amazon por evitar os impostos de renda federais.

Leia também:

 A gigante do comércio eletrônico com sede em Seattle embarcou em uma onda de contratações durante a pandemia, somando 500.000 empregos no ano passado. Agora, emprega cerca de 1,3 milhão de pessoas ao redor do mundo.

 No geral, a empresa revisa os salários todo outono (hemisfério norte, primavera no Brasil) antes das compras de Natal. Mas desta vez adiantou o aumento anual, já que busca contratações adicionais "para dezenas de milhares de postos de trabalho" nas operações nos Estados Unidos, disse Darcie Henry, vice-presidente de operações mundiais, em um comunicado.

 O aumento salarial será dividido entre os funcionários das equipes de atendimento ao cliente, entrega, classificação de pacotes e cumprimento de especialidade, enquanto outras equipes terão sua compensação anual revisada durante o ano, acrescenta o comunicado.

 Em 2018, a Amazon aumentou seu salário mínimo para 15 dólares por hora para todos os funcionários dos Estados Unidos. Recentemente, se uniu a várias outras grandes corporações para defender que o mínimo federal seja aumentado para a mesma quantia.

Fracasso do sindicato

 A Amazon promoveu seu salário inicial por hora, entre outros benefícios, enquanto se defende de um esforço que resultou malsucedido para a criação do primeiro sindicato da empresa em uma instalação americana.

 No início deste mês, os sindicatos e líderes políticos alegaram que os trabalhadores da Amazon enfrentam uma pressão e um monitoramento constantes, com pouca proteção trabalhista, o que destaca a necessidade da negociação coletiva.

 Os organizadores da campanha sindical frustrada acusaram a empresa de intimidar os trabalhadores antes da votação por correio e apresentaram um caso à Junta Nacional de Relações Trabalhistas.

 Ao defender o tratamento da Amazon aos empregados depois da votação sindical, o fundador e diretor executivo da empresa, Jeff Bezos, prometeu uma "visão" melhor para os funcionários.

 Em uma carta, ele estabeleceu um novo objetivo para que a empresa seja "o melhor empregador da Terra e o lugar mais seguro para trabalhar".

 A Amazon fez o anúncio do aumento salarial um dia antes da data programada para publicar seus lucros do primeiro trimestre.