Mercado abrirá em 6 h 36 min
  • BOVESPA

    109.951,49
    +2.121,77 (+1,97%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.125,01
    -210,50 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,45
    -0,02 (-0,03%)
     
  • OURO

    1.891,40
    +0,70 (+0,04%)
     
  • BTC-USD

    22.562,83
    -690,55 (-2,97%)
     
  • CMC Crypto 200

    519,49
    -17,40 (-3,24%)
     
  • S&P500

    4.117,86
    -46,14 (-1,11%)
     
  • DOW JONES

    33.949,01
    -207,68 (-0,61%)
     
  • FTSE

    7.885,17
    +20,46 (+0,26%)
     
  • HANG SENG

    21.367,02
    +83,50 (+0,39%)
     
  • NIKKEI

    27.573,34
    -33,12 (-0,12%)
     
  • NASDAQ

    12.593,25
    +48,00 (+0,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5770
    +0,0096 (+0,17%)
     

Amazon anuncia corte de mais de 18 mil funcionários

Nesta quarta-feira (4), a Amazon anunciou que planeja cortar "um pouco mais de 18 mil" funcionários da sua força de trabalho, visando controlar gastos. A notícia foi revelada por Andy Jassy, executivo-chefe, em uma postagem no blog da empresa.

O número de pessoas a serem demitidas é bem maior do que esperado internamente. Em novembro, uma reportagem do The New York Times anunciou que a empresa pretendia demitir 10 mil funcionários — cerca de 3% da força de trabalho nos Estados Unidos. Ao que parece, porém, esse número mudou após a empresa realizar sua revisão anual dos negócios.

A avaliação resultou em cortes de empregos antes do Natal, afetando membros do setor de dispositivos e livros da Amazon, incluindo a equipe responsável pela Alexa e pelo Kindle. Nesta semana, Jassy anunciou que cortes mais amplos devem acontecer no início deste ano.

“A revisão deste ano foi mais difícil devido à economia incerta e ao fato de termos contratado rapidamente nos últimos anos”, escreveu Jassy.

Segundo Jassy, a maioria dos cortes atingirá as unidades de lojas da empresa, incluindo o comércio eletrônico, e o setor de Recursos Humanos, conhecido como Pessoas, Experiências e Tecnologia (PXT). Ele acrescenta que as mudanças ajudarão a buscar oportunidades de longo prazo com "uma estrutura de custos mais forte".

Queda nas compras online dá prejuízo à Amazon

A Amazon vai reduzir a equipe responsável pelo e-commerce, que apresentou um baixo desempenho pós-pandemia devido à alta da inflação e dos custos de logística. A queda nas vendas online teve um impacto significativo no lucro da empresa, que fechou o ano com uma queda de quase 50% nas ações e um prejuízo total de US$ 2,9 bilhões (cerca de R$ 15,6 bilhões) no último trimestre.

O executivo disse estar "otimista de que seremos criativos, engenhosos e desconexos neste momento em que não estamos contratando de forma expansiva e eliminando algumas funções". Segundo Jassy, grandes empresas passam por diferentes fases e não ficam no "modo expansão" sempre.

A notícia dos cortes ocorreu um dia após a Amazon contratar um empréstimo não garantido de US$ 8 bilhões, cerca de R$ 43,2 bilhões na cotação atual, com vencimento no final deste ano. “Dado o ambiente macroeconômico incerto, nos últimos meses, usamos diferentes opções de financiamento para apoiar despesas de capital, amortização de dívidas, aquisições e necessidades de capital de giro”, explicou a empresa.

Crise nas big techs

As atitudes da Amazon refletem o período difícil que as empresas de tecnologia, no geral, estão passando. Demissões em massa, cortes de gastos, dificuldade em arrecadar fundos, entre outros problemas que se tornaram comuns entre as big techs.

O ano passado foi marcado por grandes reduções de funcionários por parte de grandes empresas, como a Meta, Twitter, Tesla, entre outras. Nesta quarta-feira (4), a Salesforce anunciou um corte de 10% da sua força de trabalho, equivalente a 8 mil pessoas.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: