Mercado abrirá em 7 h 55 min
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,63 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,59 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,32
    -0,65 (-0,90%)
     
  • OURO

    1.748,50
    -2,90 (-0,17%)
     
  • BTC-USD

    45.766,97
    -2.083,37 (-4,35%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.144,51
    -81,02 (-6,61%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,42 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    23.955,18
    -965,58 (-3,87%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,75 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.238,25
    -87,75 (-0,57%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1882
    -0,0112 (-0,18%)
     

Amapá sofre novo apagão, e 13 de 16 cidades ficam sem luz

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Cidades do Amapá voltaram a sofrer com apagão de energia nesta quarta-feira (25). Segundo a CEA, a companhia de energia local, 13 dos 16 municípios tiveram o fornecimento de energia interrompido na manhã desta quarta, incluindo a capital, Macapá. O abastecimento foi restabelecido às 12h10.

Ainda segundo a CEA, o problema foi causado por uma falha na comunicação com o SIN (Sistema Interligado Nacional). Apenas os municípios de Oiapoque, Laranjal do Jari e Vitória do Jari não foram afetados.

"A situação está sendo investigada pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS)", afirmou a CEA em nota.

A LMTE (Linhas de Macapá Transmissora de Energia) disse que a falta de energia não deveria ocorrer, "uma vez que o sistema de abastecimento na região não depende exclusivamente das instalações operadas pela LMTE e engloba uma cadeia sistêmica de geração e distribuição que deveria prever redundâncias e mecanismos para evitar cortes de carga".

A empresa afirmou que houve uma interrupção de poucos minutos no funcionamento de uma das instalações durante uma uma manutenção preventiva da Subestação Macapá, "decorrente de surto de tensão originado nas linhas de média tensão que não são operadas pela LMTE".

Em novembro de 2020, um incêndio em uma subestação causou limitação no fornecimento de energia por 21 dias nos mesmos 13 municípios. A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) viu falhas na manutenção da LMTE e multou a empresa em R$ 3,6 milhões.

O ONS também foi multado pela ocorrência, em R$ 5,7 milhões. Para a agência, o operador falhou ao não adotar medidas preventivas, mesmo tendo ciência que a subestação responsável pelo incidente operava de forma precária, com um de seus três transformadores fora de serviço havia quase um ano.

Em junho deste ano, houve uma nova queda no sistema de transmissão do Amapá, causada por uma oscilação de potência na geração de energia na região, de acordo com a LMTE.

O Amapá é conectado ao sistema interligado nacional de energia por linhas de transmissão que partem da usina hidrelétrica de Tucuruí, no Pará, rumo a Manaus, com uma perna até Macapá.

Em relatório sobre o apagão de 2020, o ONS pediu estudos para a construção de uma nova subestação no estado, criando mais um sistema de redundância.

Em nota, a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) afirmou ter determinado que a LTME se explique sobre o episódio até, no máximo, nesta quinta-feira (26) e apresente uma lista de medidas para contornar a situação e evitar novos apagões.

“A Aneel também cobrou que a LMTE explique as razões para realizar a substituição de transformador na subestação. A interrupção foi de pouco mais de 180 MW de carga no estado, conforme informações do ONS. Foi desligado um barramento de 69kV da subestação Macapá, provocando o desligamento total do setor de 69 kV e 138 kV de Macapá, enquanto estava sendo substituído o transformador TR1, de 230/69 kV na subestação”, disse a agência.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos