Mercado fechado

América Móvil diz que está aberta a avaliar rede móvel da Oi

Raquel Brandão

Companhia é a dona da Claro no Brasil O presidente da América Móvil, dona da Claro, Daniel Hajj, afirmou que a companhia está aberta a avaliar ativos que a Oi venha a colocar à venda, em especial o segmento de rede móvel.

“Estamos abertos para analisar os ativos da Oi. Isso envolve análise de dados e claro estamos interessados em checar e estar no processo de venda dos ativos. Essas ativos são os rede móvel ou os assinantes da rede móvel”, disse o executivo em teleconferência da companhia hoje.

Cerca de uma hora depois, a ação preferencial da Oi chegou à maior cotação de hoje, a R$ 0,99. Há pouco, o papel subia 3,19%, para R$ 0,97, com volume financeiro de R$ 131 milhões, superando so R$ 117,9 milhões de todo pregão de ontem.

Hoje, também em teleconferência para falar dos resultados do quarto trimestre, o presidente da TIM Brasil, Pietro Labriola, afirmou que a operadora está preparada para participar do processo de consolidação do mercado de telecomunicações no Brasil.

Embora não tenha citado especificamente a Oi, no ano passado a TIM chegou a conversar com representantes da operadora brasileira sobre uma potencial aquisição do serviço de rede móvel.

No ano de 2020, as ações da Oi acumulam alta de 13,95%. A companhia entrou com um pedido de recuperação judicial em 2016, com dívidas superiores a R$ 60 bilhões e já sinalizou intenção de vender seus ativos no passado. O último resultado divulgado, do terceiro trimestre de 2019, mostrou um prejuízo de R$ 5,8 bilhões.

O presidente da América Móvil, dona da Claro, Daniel Hajj

Susana Gonzalez/Bloomberg