Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.672,76
    -3.755,42 (-3,28%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.402,73
    -283,30 (-0,54%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,01
    +0,57 (+0,69%)
     
  • OURO

    1.769,50
    +3,80 (+0,22%)
     
  • BTC-USD

    63.966,04
    +2.723,30 (+4,45%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.481,22
    +17,87 (+1,22%)
     
  • S&P500

    4.519,63
    +33,17 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    35.457,31
    +198,70 (+0,56%)
     
  • FTSE

    7.217,53
    +13,70 (+0,19%)
     
  • HANG SENG

    25.787,21
    +377,46 (+1,49%)
     
  • NIKKEI

    29.215,52
    +190,06 (+0,65%)
     
  • NASDAQ

    15.414,50
    +124,00 (+0,81%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4963
    +0,1048 (+1,64%)
     

Retomada da América Latina não será suficiente para recuperação total da Covid-19, diz Cepal

·2 minuto de leitura
Pedestres caminham entre vendedores ambulantes no centro do Rio de Janeiro

Por Anthony Boadle

BRASÍLIA (Reuters) - A pandemia de Covid-19 causou tanto desemprego e pobreza na América Latina e no Caribe que uma "retomada estatística" no crescimento este ano não será suficiente para superá-la, disse a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal) em um relatório desta quinta-feira.

A economia latino-americana deve crescer 5,9% neste ano e 2,9% em 2022, afirmou a Cepal em conjunto com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), mantendo previsão anterior.

As projeções da Cepal apontam que o Brasil crescerá menos do que outras grandes economias da região este ano, alcançando uma taxa de 5,2%. O Peru deve expandir 10,6%, o Chile 9,2% e a Argentina e a Colômbia 7.5%, A previsão para o México é de um crescimento de 6,2%

No entanto, isso não será suficiente para uma recuperação total em relação à crise social e sanitária desencadeada pela Covid-19, que reduziu a produção econômica em 6,8% em 2020.

Com apenas 8,4% da população mundial, as 1,5 milhão de mortes registradas na América Latina pela Covid-19 representam cerca de 30% do total de óbitos globais, tornando a região a mais atingida do planeta.

"Uma retomada econômica por si só não será suficiente para se recuperar da pandemia", disse o relatório sobre saúde pública, economia e consequências sociais da Covid-19 na região.

A diretora da Opas, Carissa Etienne, e a secretária executiva da Cepal, Alicia Barcena, disseram que não haverá uma recuperação robusta sem uma resolução da crise de saúde pública na região, onde apenas 39% das pessoas foram vacinadas.

"Portanto, é ainda mais importante garantir a prestação de serviços essenciais de saúde em meio a uma pandemia prolongada, onde a vacinação em massa é um dos principais desafios que os países devem enfrentar para controlar a pandemia, apoiados por medidas de proteção social e saúde pública", disse o relatório.

As organizações fizeram um apelo pelo reforço dos sistemas de saúde com aumento dos gastos públicos e melhores serviços de saúde primários.

Barcena disse que as economias da região verão uma "recuperação estatística" este ano, que não deve continuar em 2022.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos