Mercado abrirá em 6 h 44 min
  • BOVESPA

    111.878,53
    +478,62 (+0,43%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    43.674,83
    +779,20 (+1,82%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,17
    -0,11 (-0,24%)
     
  • OURO

    1.838,40
    +8,20 (+0,45%)
     
  • BTC-USD

    19.082,40
    +1,06 (+0,01%)
     
  • CMC Crypto 200

    374,41
    +9,49 (+2,60%)
     
  • S&P500

    3.669,01
    +6,56 (+0,18%)
     
  • DOW JONES

    29.883,79
    +59,87 (+0,20%)
     
  • FTSE

    6.463,39
    +78,66 (+1,23%)
     
  • HANG SENG

    26.643,23
    +110,65 (+0,42%)
     
  • NIKKEI

    26.783,19
    -17,79 (-0,07%)
     
  • NASDAQ

    12.468,00
    +13,75 (+0,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3609
    +0,0411 (+0,65%)
     

Alvos de inquéritos do STF, bolsonaristas espalham fake news contra Biden em dia de eleição nos EUA

Redação Notícias
·2 minuto de leitura
Deputado pede votos para Donald Trump (Foto: Reprodução/TV Alesp)
Deputado pede votos para Donald Trump (Foto: Reprodução/TV Alesp)

Da mesma forma que atuam em defesa de Jair Bolsonaro (sem partido), espalhando mentiras para conseguir apoio ao presidente brasileiro, os bolsonaristas acusados de espalhar notícias falsas no Brasil agiram nos mesmos moldes fora do país. Desta vez, porém, disseminaram fake news conta o candidato Joe Biden e a favor de Donald Trump no dia da eleição dos Estados Unidos.

De acordo com a Folha de S. Paulo, entre os ataques mentirosos, insinuaram que Biden seria pedófilo, contra cristãos e que ele planeja invadir a Amazônia. Parte desses apoiadores radicais do presidente brasileiro — e de Trump — são alvos de inquéritos do STF (Supremo Tribunal Federal) sobre fake news.

Alguns tiveram suas contas em redes sociais bloqueadas por determinação do ministro Alexandre de Moraes. É o caso do blogueiro Allan dos Santos, do Terça Livre, que se mudou para os EUA após responder a inquéritos no STF.

Ele publicou um vídeo em que Biden cochicha no ouvido de uma adolescente com a legenda “caraleo”, insinuando pedofilia. Em outras ocasiões, Dos Santos já foi mais explícito na insinuação, dizendo que há um "mar de informações que podem levar a família Biden à uma rede de pedofilia".

Leia também

O blogueiro não apresentou provas para as declarações e o próprio pai da garota que aparece no vídeo com Biden, o senador democrata Chris Coons, afirmou não ter havido nada de inadequado pois Biden conversada para marca uma data para que a menina brincasse com sua filha.

Outro ataque veio do youtuber do Brasil Sem Medo, Bernardo Küster, que publicou vídeo em que diz que Biden estava “entregando a infraestrutura dos EUA para empresas ligadas ao Partido Comunista Chinês”. Porém, segundo reportagem do jornal The New York Times, não há evidências de que Biden tenha se envolvido em negociações comerciais com empresas chinesas ensaiadas por seu irmão, James, e por seu filho, Hunter.

Assim como Allan, Küster teve suas contas em redes sociais bloqueadas internacionalmente por determinação do STF no âmbito do inquérito das fake news.

Deputado pedindo voto

Houve ainda parlamentares usando o tempo em plenário na Assembleia Legislativa para pedir votos a Trump. Com um boné Make America Great Again, o deputado estadual Douglas Garcia (PTB), que é acusado de organizar uma lista com dados pessoais de pessoas “antifascistas”, usou seu tempo para dizer que as eleições desta terça-feira (3) poderiam “colocar em xeque a liberdade mundial”.

"Faço apelo à população conservadora dos Estados Unidos para que continuem levando esses mesmos princípios de liberdade, justiça e conservadorismo à presidência da República", disse. Seu vídeo foi visualizado por apenas 66 pessoas até a noite desta terça (3).

De acordo com a Folha de S. Paulo, outro bolsonarista que teve o perfil no Twitter suspenso, Roberto Jefferson, presidente do PTB, colocou Biden como “cristofóbico”. Além disso, a deputada federal Carla Zambelli escreveu que o “esquerdista” Biden falou em “intervir na Amazônia brasileira”.