Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,74 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,17
    +0,02 (+0,03%)
     
  • OURO

    1.792,30
    +6,80 (+0,38%)
     
  • BTC-USD

    56.195,21
    +1.312,14 (+2,39%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,81 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,06 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,68 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,68 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.043,50
    -7,50 (-0,05%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3075
    +0,0693 (+1,11%)
     

Alvo de prisão, Allan dos Santos teria visto de turista expirado nos Estados Unidos

·4 min de leitura

BRASÍLIA - Alvo de uma ordem de prisão expedida pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, o blogueiro bolsonarista Allan dos Santos deixou o Brasil em julho do ano passado para cumprir quarentena no México antes de ingressar nos Estados Unidos com um visto de turista. Esse visto já estaria expirado, indicam documentos oficiais do governo norte-americano obtidos pelo GLOBO. A defesa do blogueiro nega irregularidades em sua permanência no país americano.

Moraes determinou a prisão após pedido da Polícia Federal, apontando que o blogueiro continuou articulando ataques às instituições democráticas de fora do Brasil.

Os dados do Departamento de Segurança Interna dos EUA, órgão conhecido pela sigla em inglês DHS, registram que Allan entrou no país em 12 de agosto de 2020 e tinha permissão para ficar no território por seis meses, até 11 de fevereiro de 2021. Ou seja, essa autorização estaria vencida há oito meses. Os documentos foram emitidos no sistema oficial do DHS e indicam a situação atual do blogueiro junto ao governo dos Estados Unidos, de acordo com os registros.

O blogueiro entrou nos EUA com um visto do tipo B2, concedido para turistas. Para contornar a restrição de entrada de turistas brasileiros por causa da pandemia da Covid-19, Allan teve que cumprir quarentena no México. Os registros da Polícia Federal brasileira detectaram que o blogueiro deixou o Brasil no dia 27 de julho de 2020, com destino ao território mexicano.

Além disso, investigadores da Polícia Federal descobriram que, do México, ele tinha passagens aéreas de ida e volta aos EUA, para argumentar às autoridades norte-americanas que estava entrando no país apenas com a intenção de turismo. Porém, ele nunca ingressou no voo de volta. A entrada de Allan dos Santos nos Estados Unidos em 12 agosto de 2020 é o último registro dele na alfândega americana, de acordo com os documentos do DHS. Ele chegou no país por um aeroporto de Nova York.

Procurado, o advogado de Allan dos Santos, Juliano Castro, negou irregularidades na situação do seu cliente. "Allan dos Santos não está com visto expirado. Essa é uma informação falsa. Allan dos Santos conta com assessoria jurídica especializada para cuidar do seu visto nos EUA, respeitando toda a legislação do país", disse a defesa. Questionado sobre como contornou o vencimento do seu visto, o blogueiro respondeu: "Isso não lhe compete. É da minha vida privada".

O blogueiro é investigado no Supremo Tribunal Federal (STF) no inquérito das fake news e também na investigação sobre milícias digitais, sob suspeita da disseminação de ataques às instituições democráticas e outros crimes. Na semana passada, suas contas em redes sociais foram bloqueadas por ordem do ministro Alexandre de Moraes. Essa medida já havia sido tomada outras vezes, mas o blogueiro costuma criar novas contas para fazer novas publicações.

Ele também entrou na mira da CPI da Covid, por supostamente ter auxiliado na disseminação de conteúdo falso a respeito do combate à doença. O blogueiro foi um dos alvos de indiciamento no relatório final do senador Renan Calheiros (MDB-AL).

No despacho que determinou a prisão, Moraes afirma que, segundo a PF, as investigações indicam a habitualidade de Allan dos Santos em praticar crimes que, “pelo modo de agir descrito, pela frequência de execução e repetição dos argumentos incidiriam em tipos penais caracterizados como ameaça, crimes contra a honra e incitação à prática de crimes, bem como o tipo penal decorrente de integrar organização criminosa, convergente com o contexto da apuração já em curso neste inquérito”.

Na decisão, Moraes ainda aponta que, segundo as investigações, o blogueiro bolsonarista se associou a pessoas ligadas "aos violentos atos criminosos que ocorreram em Washington D.C., no prédio do Capitólio, que buscavam contestar o resultado das democráticas eleições americanas".

De acordo com o ministro, tendo sido inúteis as medidas anteriormente decretadas por ele, a prisão preventiva de Santos "é a única medida apta a garantir a ordem pública, eis que o investigado continua a incorrer nas mesmas condutas investigadas, ou seja, permanece a divulgar conteúdo criminoso, por meio de redes sociais, com objetivo de atacar integrantes de instituições públicas, desacreditar o processo eleitoral brasileiro, reforçar o discurso de polarização; gerar animosidade dentro da própria sociedade brasileira, promovendo o descrédito dos poderes da república, além de outros crimes, e com a finalidade principal de arrecadar valores".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos