Mercado abrirá em 6 h 5 min
  • BOVESPA

    113.031,98
    +267,72 (+0,24%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.638,36
    -215,01 (-0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,59
    -0,82 (-0,92%)
     
  • OURO

    1.794,90
    -3,20 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    24.031,47
    -265,78 (-1,09%)
     
  • CMC Crypto 200

    569,84
    -20,92 (-3,54%)
     
  • S&P500

    4.297,14
    +16,99 (+0,40%)
     
  • DOW JONES

    33.912,44
    +151,39 (+0,45%)
     
  • FTSE

    7.509,15
    +8,26 (+0,11%)
     
  • HANG SENG

    19.690,08
    -350,78 (-1,75%)
     
  • NIKKEI

    28.868,91
    -2,87 (-0,01%)
     
  • NASDAQ

    13.655,00
    -26,25 (-0,19%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1789
    +0,0004 (+0,01%)
     

Aluguéis de Manhattan atingem recorde e devem subir mais

(Bloomberg) -- Os aluguéis de apartamentos em Manhattan atingiram outro recorde em junho, com ainda mais aperto por vir para os possíveis inquilinos à medida que o mercado entra em sua temporada mais competitiva.

A mediana do valor de aluguéis em novos contratos assinados no mês passado foi de US$ 4.050 por mês, segundo a avaliadora Miller Samuel Inc. e a corretora Douglas Elliman Real Estate, que monitoram os dados há mais de três décadas. O valor superou em US$ 50 o recorde anterior estabelecido em maio e foi quase 25% mais alto do que um ano antes, quando o mercado começou a emergir de sua queda inicial da pandemia. A média dos aluguéis, um número mais distorcido pelos negócios mais caros, chegou a US$ 5.000 pela primeira vez, disseram as empresas.

Corretores e analistas esperam que os aluguéis aumentem ainda mais em julho e agosto – tradicionalmente os meses mais movimentados para aluguel em Manhattan. Este ano, esse aumento sazonal se soma a um mercado já superaquecido, alimentado pelo fluxo de novos moradores pós-pandemia, e pelos esforços dos proprietários para compensar suas perdas de 2020 e 2021.

O aumento das taxas de financiamento - que levou a um declínio nas vendas de imóveis em Nova York - também está contribuindo para a demanda por aluguéis, disse Julia Segal, diretora da corretora Compass.

“O aumento das taxas de juros certamente está transformando alguns compradores em locatários”, disse ela, “e isso está aumentando o número de locatários”.

O tempo em que apartamentos ficam no mercado também continuou a cair, para 50 dias no mês passado, ante 52 dias em maio e 87 dias em junho de 2021, segundo os dados da Miller Samuel e da Douglas Elliman.

Com a expectativa de aumento da concorrência, um número crescente de pessoas a procura de apartamento para alugar está disposto a se candidatar sem visitar o imóvel, disse Hal Gavzie, gerente executivo de locação da Douglas Elliman. Embora ele instrua seus corretores a desencorajar isso, ele disse que entende por que “inquilinos que estão frustrados com a rapidez com que os apartamentos estão sendo alugados” correriam esse risco.

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos