Mercado fechado

Aluguéis em alta são inflação com poder para ficar nos EUA

·2 min de leitura

(Bloomberg) -- O custo de alugar um imóvel disparou em cidades dos Estados Unidos, o que pressiona o orçamento de famílias de baixa renda e desafia o consenso de que a inflação na pandemia é temporária.O aluguel nacional mediano subiu 9,2% no primeiro semestre de 2021, de acordo com a Apartament List. Embora parte do aumento reflita a recuperação dos preços que caíram no início da pandemia, a imobiliária diz que os aluguéis estão agora mais altos do que se tivessem permanecido na trajetória pré-Covid.

E ainda estão subindo muito rápido, exatamente quando a maioria dos contratos de aluguel são renovados, o que deixa milhões de inquilinos com despesas mensais mais altas. Pesquisas do Fed de Nova York e Fannie Mae indicam que inquilinos podem enfrentar aumentos adicionais de 7% a 10% no próximo ano.Aluguéis mais altos são o tipo de aumento de preços difícil de reverter, ao contrário de muitas pressões que chegaram com a reabertura da economia, como os custos da madeira serrada e carros usados.Com isso, uma alta sustentada dos aluguéis pode representar um desafio maior para a visão do Federal Reserve - compartilhada pela maioria dos investidores - de que o atual avanço da inflação será transitório.

‘Tendência mais persistente’

“É uma tendência mais persistente que poderíamos observar em outros componentes agora”, disse Sarah House, economista do Wells Fargo & Co. “Quando você assina um contrato de aluguel, em média, é provavelmente por um ano ou mais.”Outro efeito da inflação dos aluguéis é o aumento das desigualdades no mercado imobiliário, o que eleva as diferenças de renda e riqueza. A recuperação da pandemia foi classificada “em forma de K” por alguns analistas, porque seus benefícios se concentraram nos mais ricos.

Nos EUA, os preços dos imóveis registraram a maior alta em mais de 30 anos nos 12 meses até abril. O ganho de 15% do índice Case-Shiller de referência durante esse período “se traduziria em um ganho de riqueza de US$ 45 mil para um proprietário típico”, disse Lawrence Yun, economista-chefe da National Association of Realtors.

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos