Mercado abrirá em 8 h 8 min
  • BOVESPA

    120.294,68
    +997,55 (+0,84%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.329,84
    +826,13 (+1,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,08
    -0,07 (-0,11%)
     
  • OURO

    1.740,00
    +3,70 (+0,21%)
     
  • BTC-USD

    63.147,50
    -687,51 (-1,08%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.376,28
    +0,50 (+0,04%)
     
  • S&P500

    4.124,66
    -16,93 (-0,41%)
     
  • DOW JONES

    33.730,89
    +53,62 (+0,16%)
     
  • FTSE

    6.939,58
    +49,09 (+0,71%)
     
  • HANG SENG

    28.623,90
    -276,93 (-0,96%)
     
  • NIKKEI

    29.653,57
    +32,58 (+0,11%)
     
  • NASDAQ

    13.817,75
    +19,00 (+0,14%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7693
    -0,0036 (-0,05%)
     

Alto preço do milho reduz uso de ração para aves no Brasil

Fabiana Batista
·1 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Parte dos pintinhos no Brasil, maior exportador mundial de carne de frango, tem recebido menos ração devido aos altos preços do milho.

Algumas das empresas avícolas brasileiras estão abatendo frangos menos pesados como forma de enfrentar os crescentes preços do milho, ingrediente que responde pela maior parte dos custos da ração, disse em entrevista Ricardo Santin, presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). Existem casos de alguns produtores que reduziram o número de pintinhos alojados ou suspenderam temporariamente as operações.

“Esse ajuste é inevitável enquanto os preços do milho continuarem neste nível”, disse Santin, acrescentando que algumas empresas não foram afetadas pelo aumento dos custos porque têm estoques comprados anteriormente a preços mais baixos.

Os preços do milho no Brasil bateram novos recordes no mercado interno, com alta superior a 60% nos últimos 12 meses. Ao contrário dos EUA, o setor de carnes do Brasil não tem conseguido repassar os custos mais altos aos consumidores devido ao desaquecimento da economia.

Embora os preços devam cair no segundo semestre com a colheita da segunda safra de milho no Brasil, essa queda pode não trazer alívio significativo para a indústria de proteína animal, de acordo com o Itaú BBA. O banco projeta que em setembro os preços dos grãos estarão 30% acima do mesmo período do ano anterior.

“Vemos, no entanto, um mercado interno e externo melhor para o segundo semestre do ano”, disse Santin, da ABPA.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.