Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    48.516,08
    +452,45 (+0,94%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Alta no preço da passagem aérea prejudica retomada do turismo, diz setor

·1 min de leitura
Passageiros aguardam voo no aeroporto de Confins, próximo a Belo Horizonte. (Foto Amanda Lemos/Folhapress)
Passageiros aguardam voo no aeroporto de Confins, próximo a Belo Horizonte. (Foto Amanda Lemos/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A demanda reprimida por viagens nas férias escolares após as restrições da pandemia anima o setor de turismo, mas a alta no preço das passagens, impulsionada por câmbio e combustível, surge como uma preocupação que pode atrapalhar a retomada.

Segundo Fabio Aguayo, diretor da CNTur (Confederação Nacional do Turismo), a oscilação nos preços dos voos pode espantar passageiros, prejudicando a recuperação dos hotéis.

Ele afirma que, na Bahia, o desempenho dos bares e restaurantes já está próximo ao patamar de 2019, enquanto a hotelaria ainda trabalha com média mensal de 65% da ocupação anterior à chegada do coronavírus. O cenário é pior no Paraná, onde os hotéis atingem, no máximo, 60% do cenário pré-pandemia em finais de semana mais movimentados, segundo Aguayo.

Para Manoel Linhares, presidente da Abih (associação da indústria de hotéis), está ficando inviável fazer turismo interno no Brasil com o atual valor das passagens. "Hoje estamos dependendo de três companhias aéreas. Isso preocupa", diz.

O presidente do Fohb (Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil), Orlando Souza, diz que muitos turistas ainda estão substituindo as viagens de avião por trajetos de carro para destinos mais próximos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos