Mercado fechado

Alta nas carnes limitou vendas do supermercados em novembro, aponta IBGE

Bruno Villas Bôas

“É algo que acabou inclusive compensando ganhos nas vendas por conta do período promocional da Black Friday”, nota Isabella Nunes, gerente da pesquisa O choque de preços das proteínas na inflação limitou as vendas de hipermercados, supermercados e alimentos em novembro de 2019, conforme dados da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgada nesta quarta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O levantamento mostra que a receita nominal do setor até cresceu 1% em novembro, perante outubro, mas, quando descontada a inflação dos alimentos, a receita real do setor mostra estabilidade na passagem dos dois meses.

Felix Wolf/Pixabay

Black Friday e conjuntura garantiram alta do consumo, diz IBGE

Ibre-FGV: Decepção não muda cenário básico para o consumo

Análise: Varejo frustra caminha para alta menor que em 2018

No penúltimo mês de 2019, a inflação de alimentação e bebidas foi de 1,01% pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), deflator das vendas de hipermercados e supermercados na pesquisa do IBGE. A alta foi influenciada pelas carnes, mais caras por conta da demanda da China.

“É algo que acabou inclusive compensando ganhos nas vendas por conta do período promocional da Black Friday”, disse Isabella Nunes, gerente da pesquisa, durante entrevista coletiva no Rio.

Em novembro, as vendas no varejo subiram 0,6% em relação ao mês anterior. Perante igual período de 2018, houve alta de 2,9%, oitava taxa positiva seguida.