Mercado fechado
  • BOVESPA

    101.259,75
    -657,98 (-0,65%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.707,72
    +55,53 (+0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    39,78
    -0,86 (-2,12%)
     
  • OURO

    1.903,40
    -1,20 (-0,06%)
     
  • BTC-USD

    12.915,13
    -396,99 (-2,98%)
     
  • CMC Crypto 200

    260,05
    -1,40 (-0,54%)
     
  • S&P500

    3.465,39
    +11,90 (+0,34%)
     
  • DOW JONES

    28.335,57
    -28,09 (-0,10%)
     
  • FTSE

    5.860,28
    +74,63 (+1,29%)
     
  • HANG SENG

    24.918,78
    +132,65 (+0,54%)
     
  • NIKKEI

    23.516,59
    +42,32 (+0,18%)
     
  • NASDAQ

    11.669,25
    +19,50 (+0,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6639
    +0,0538 (+0,81%)
     

Allan Turnowski promove dança das cadeiras na Polícia Civil, mas não troca delegado do caso Marielle

Vera Araújo
·1 minuto de leitura
Allan Turnowski: novo secretário de Polícia Civil fez mudanças na cúpula da corporação
Allan Turnowski: novo secretário de Polícia Civil fez mudanças na cúpula da corporação

RIO — A dança das cadeiras na Polícia Civil já começou. Nomeado na segunda-feira pelo governador em exercício, Cláudio Castro, o delegado Allan Turnowski, novo secretário estadual da pasta, vai trocar os subsecretários e todos os diretores de departamentos da corporação. Nas subsecretarias Operacional e Administrativa assumem os delegados Rodrigo Oliveira e Valéria Aragão, respectivamente. Haverá mudanças também nas delegacias especializadas e distritais mas, por enquanto, Turnowski não irá trocar o titular da Delegacia de Homicídios da Capital (DH), Daniel Rosa, responsável pela investigação dos homicídios da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes, considerado o crime de maior repercussão, em andamento, da polícia brasileira. Os investigadores ainda não chegaram ao mandante da execução.

Uma das características do delegado Rodrigo Oliveira era estar de frente nas operações policiais em áreas de risco. Numa delas, em 2007, durante troca de tiros com traficantes na favela da Coréia, em Bangu, na Zona Oeste, Oliveira foi baleado no pescoço. Na época, ele era titular da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core). Ele estava fora da polícia, trabalhando na Petrobras. Já Valéria Aragão deixa a titularidade da 12ªDP (Copacabana), onde estava há quase dois anos.

Também assumiram cargos na cúpula da Polícia Civil:

Antenor Lopes Júnior, diretor do Departamento Geral de Polícia da Capital (DGPC)

Giniton Lages, diretor do Departamento Geral de Polícia da Baixada

Pedro Medina, diretor do Departamento Geral de Polícia do Interior

Felipe Curi, diretor do Departamento Geral de Polícia Especializada (DGPE)

Roberto Cardoso, diretor do Departamento Geral de Homicídios e Proteção à Pessoa (DGHPP)

Flávio Porto, diretor do Departamento Geral de Combate à Corrupção, ao Crime Organizado e à Lavagem de Dinheiro (DGCOR-LD)

Controladora Geral de Polícia Civil, Andréa Menezes