Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    49.354,69
    -4.136,79 (-7,73%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Allan dos Santos está estudando Bitcoin após perder campanhas de arrecadação

·3 min de leitura
Allan dos Santos
Allan dos Santos

O ex-blogueiro Allan dos Santos, que fundou o site “Terça Livre”, disse em um canal do Telegram que está estudando o Bitcoin como tecnologia para receber doações de seus apoiadores.

Acusado no Brasil de disparar fake news em redes sociais, Allan fugiu do país e teve suas principais redes sociais canceladas a pedido do Supremo Tribunal Federal (STF). Ele ganhou notoriedade após apoiar Jair Bolsonaro (sem partido) nas eleições de 2018 e também por fazer parte dos movimentos pelo impeachment de Dilma Rousseff em 2016.

Atualmente nos Estados Unidos e prestes a pedir asilo político naquele país, ele é procurado pelo STF, após o Ministro Alexandre de Moraes pedir sua prisão.

Assim, sites que apoiavam Allan dos Santos tiveram que suspender as contas do brasileiro, que busca formas de continuar recebendo apoio.

Allan dos Santos diz estar estudando Bitcoin para receber doações de apoiadores, mas recebe denúncia

O perfil do Sleeping Giants Brasil (SGBR), que denuncia casos que envolvem discursos de ódio e fake news, divulgou que Allan dos Santos está agora buscando refúgio no Bitcoin.

Em uma publicação pelo Twitter, o SGBR disse que o ex-blogueiro está desesperado, após ter suas principais contas de arrecadação congeladas no Brasil. Com esse processo, Allan não consegue mais arrecadar pelo sistema financeiro tradicional, seja recursos em Real ou Dólar.

O perfil ainda disse que o uso de Bitcoin pelo apoiador do atual presidente é uma forma de burlar a decisão do STF.

Bloqueado em redes sociais diversas, Allan dos Santos continua a se comunicar com sua base de apoiadores pelo Telegram, rede social de comunicação similar ao WhatsApp que foi criada por dois irmãos russos.

Naquela plataforma, Allan dos Santos tem 121 mil seguidores, mas ele já criou perfis novos em serviços como Twitter, por exemplo.

Allan é acusado no Brasil de atacar autoridades e disseminar informações falsas, organizando ainda atos anti-democráticos. Nos últimos dias, ele chegou a recorrer no STF para responder em liberdade as acusações.

Na justiça, ele chegou a processar o Google após ter removido seu canal no YouTube, empresa de tecnologia que pede agora sua condenação por má-fé, segundo informações da Folha de São Paulo.

Ex-blogueiro está usando carteira “Wallet of Satoshi”

Em um levantamento feito pelo Livecoins, Allan dos Santos em seus “estudos” sobre o Bitcoin está usando a carteira Wallet of Satoshi.

Essa carteira utiliza a rede Lightning Network para processar transações, utilizada em smartphones que tenham sistemas iOS e Android.

Em uma rápida pesquisa no endereço público da carteira de Bitcoin de Allan dos Santos, até o momento da escrita desta matéria, ele recebeu apenas cerca de R$ 90,00 de seus apoiadores, valor que já viu parte dele ser sacado.

Allan dos Santos coloca imagem de carteira de Bitcoin para receber doações de apoiadores
Allan dos Santos coloca imagem de carteira de Bitcoin para receber doações de apoiadores /Reprodução

No Brasil, transações com Bitcoin não são proibidas pela legislação atual, mas são totalmente rastreáveis e poderão ser acompanhadas pela justiça brasileira no caso de Allan dos Santos. Caso ele utilize alguma corretora brasileira para depositar suas moedas, sua conta poderia sofrer medidas de bloqueio, por exemplo.

Essa situação inusitada chama a atenção, por ser um dos primeiros registros de um foragido da justiça publicamente utilizar Bitcoin para se financiar.

Fonte: Livecoins

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos