Mercado fechará em 1 h 46 min
  • BOVESPA

    95.644,05
    +275,29 (+0,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    36.929,06
    -464,65 (-1,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    35,91
    -1,48 (-3,96%)
     
  • OURO

    1.868,80
    -10,40 (-0,55%)
     
  • BTC-USD

    13.506,06
    +350,69 (+2,67%)
     
  • CMC Crypto 200

    265,61
    +22,93 (+9,45%)
     
  • S&P500

    3.297,14
    +26,11 (+0,80%)
     
  • DOW JONES

    26.540,99
    +21,04 (+0,08%)
     
  • FTSE

    5.581,75
    -1,05 (-0,02%)
     
  • HANG SENG

    24.586,60
    -122,20 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    23.331,94
    -86,57 (-0,37%)
     
  • NASDAQ

    11.330,00
    +197,25 (+1,77%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7334
    -0,0010 (-0,01%)
     

Alinhado a Bolsonaro, Augusto Aras defendeu o governo em 30 ocasiões e se opôs apenas uma vez

·2 minutos de leitura
Brazil's new Attorney General Augusto Aras speaks during his inauguration ceremony, in Brasilia, Brazil, October 2, 2019. (AP Photo/Eraldo Peres)
Aras completou um ano na Procuradoria-Geral da República no dia 26 de setembro (Foto: AP Photo/Eraldo Peres)

Em um ano à frente da Procuradoria-Geral da República, Augusto Aras esteve alinhado ao governo 30 vezes, enquanto apresentou uma ação constitucional contra Jair Bolsonaro (sem partido) apenas uma vez. O levantamento foi feito pela Folha de S. Paulo.

Aras, que foi nomeado em 26 de setembro de 2019, estava fora da lista tríplice, eleita por membros do Ministério Público Federal. É praxe que o presidente da República escolha um desses candidatos, preferencialmente o primeiro. A escolha fora da lista gerou desconfiança.

Alinhado com o governo federal, o presidente Bolsonaro já afirmou que Aras é um forte candidato pela vaga ao Supremo Tribunal Federal. O posto fica disponível com a saída do decano da corte, Celso de Mello, que adiantou sua data de aposentadoria.

A única vez em que a PGR se posicionou contra o governo foi na ocasião em que foi editada a medida provisória sobre o contrato de trabalho Verde e Amarelo. A PGR pediu para que fossem invalidados dois trechos. Foi a única vez em que Aras provocou o Supremo Tribunal Federal contra Bolsonaro.

Leia também:

Aras ainda é obrigado a se manifestar na maioria das ações que chegam ao STF. Segundo dados da Folha, em alguns casos o PGR se manifestou contra o governo federal.

Um momento de tensão entre as duas partes aconteceu quando Aras pediu a abertura de um inquérito para investigar quem foram os organizadores de atos antidemocráticos, que pediam o fechamento do Congresso e do STF.

De acordo com o jornal, atualmente Augusto Aras está isolado da categoria, mas tem o apoio garantido da parte do Congresso que apoia o governo Bolsonaro e também dos ministros do STF que são críticos à Operação Lava Jato.