Mercado fechará em 54 mins
  • BOVESPA

    106.880,73
    +517,62 (+0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.553,76
    -160,84 (-0,31%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,46
    -0,20 (-0,24%)
     
  • OURO

    1.803,00
    +4,20 (+0,23%)
     
  • BTC-USD

    61.136,83
    +2.123,91 (+3,60%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.479,58
    +60,21 (+4,24%)
     
  • S&P500

    4.590,05
    +38,37 (+0,84%)
     
  • DOW JONES

    35.679,72
    +189,03 (+0,53%)
     
  • FTSE

    7.249,47
    -3,80 (-0,05%)
     
  • HANG SENG

    25.555,73
    -73,01 (-0,28%)
     
  • NIKKEI

    28.820,09
    -278,15 (-0,96%)
     
  • NASDAQ

    15.729,00
    +141,75 (+0,91%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5426
    +0,1179 (+1,84%)
     

Alimentos importados podem ficar ainda mais caros; entenda

·1 minuto de leitura
Inspeção de alimentos em frigorífico
Dentre os itens, encontram-se pescados, leite em pó, insumos e rações

(Getty Creative)

  • Alimentos provenientes de outros países encontram barreiras para entrar no Brasil

  • Motivo é a nova regra de inspeção de alimentos de origem animal

  • Situação pode gerar desabastecimento e alta nos preços

A entrada de itens como pescados, leite em pó, insumos e rações no Brasil tem demorado para ser aprovada devido a uma nova regra de inspeção de alimentos de origem animal. A situação pode gerar desabastecimento e alta no preço dos produtos, especialmente em peixes como salmão e merluza, vindos da Argentina e Chile.

Antes, a fiscalização era realizada nas fábricas, frigoríficos e estabelecimentos registrados pelo Serviço de Inspeção Federal (SIF), mas desde 18 de agosto, é necessário que os documentos passem por uma central virtual antes de entrarem no Brasil. As informações são do Valor Investe.

Leia também:

De acordo com a apuração do veículo, há relatos de carretas paradas há mais de um mês nos portos secos e formação de filas de caminhões, que precisam esperar que o Vigiagro, órgão de defesa agropecuária, aprove a passagem. A falta de fiscais e dificuldade de adaptação às novas normas são apontadas como principais motivos da demora.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos